Você provoca a tempestade e depois reclama da chuva?

Muitas pessoas reclamam das situações difíceis que lhes sobrevém, mas esquecem que muitas destas situações complicadas elas mesmas provocaram

Com 15 anos eu comecei a trabalhar fora, e lembro perfeitamente o que fiz com 1º salário: Comprei uma mochila de uma marca famosa. Sempre via minhas amigas com roupas e bolsas desta loja e tinha uma vontade enorme de ter também algo semelhante a elas, e então fui cheia de coragem comprar minha mochila. Você deve estar se perguntando: Qual o valor desta mochila? Pois bem, a metade do meu salário na ocasião. Quando cheguei em casa, toda boba com o presente que me dei, minha mãe me chamou a atenção e me fez perceber o tamanho da minha ignorância, pois deste salário eu teria que tirar minha passagem, meu almoço e ainda ajudar a pagar alguma conta em casa, pois não éramos ricos e todos em casa deveriam colaborar com as despesas. E eu, naquele mês passei um sufoco. Estava “tirando onda” com a mochila de marca, mas com o bolso vazio. Não podia nem dar ao luxo de errar o ônibus, pois não tinha como pegar outro. Falta de responsabilidade e fui muito imatura. Mas, aprendi a lição. Quando fui melhorando a vida profissional, meu salário passou a ser mais valorizado por minha administração e comecei a priorizar o que era realmente importante e fui fazendo as reservas para desenvolver meus projetos e sonhos.”

Esse relato acima foi de uma amiga arquiteta que venceu sua vaidade momentânea para ter o que tem hoje. Uma vida financeira equilibrada e bem sucedida. Vamos lembrar que quem gasta mais do que ganha deve ter cuidado. Afinal, uma hora a conta vem. O problema, muitas vezes, não está em gastar, mas em como o dinheiro é gasto.

Por isso vale a pena conferir essas dicas. Se entrou no vermelho por uma necessidade ou emergência, saiba o que fazer para evitar novamente essa situação.

Equilíbrio na vida financeira é essencial

4 dicas para quem gasta mais do que ganha sair do vermelho

Se pudesse escolher, provavelmente todo mundo optaria por um emprego que pagasse mais. Quem empreende também certamente gostaria de vender ou lucrar mais, para ter ganhos maiores. Até mesmo quem já se aposentou precisa aprender a administrar seus recursos para não entrar em novas dívidas.

Como nem sempre é possível aumentar o quanto se ganha, o ideal então é fazer sobrar mais no fim do mês. E isso pode ser feito de diversas formas, confira:

1 – Controle seus gastos

Gastou mais do que deveria? Entrou no cheque especial? Saiu usando todos os cartões de crédito de uma só vez? Saiba que você não está sozinho. E o que leva a esse ponto, além das urgências, pode ser também a falta de visibilidade dos seus gastos.

Sim, saber quanto ganho ou quanto tenho disponível na conta bancária é mais fácil. Mas não ter o controle do quanto é gasto no mês, pode criar dívidas indesejadas e bem maior do que se imaginava.

Como nem sempre os pequenos gastos são contabilizados, por exemplo, se somados, podem levar a um valor considerável no total das despesas. São os chamados “gastos invisíveis”que, se frequentes, podem levar uma pessoa a gastar mais do que ganha.

A dica, portanto, é controlar todos os gastos. Independente do valor. Se existe algum desequilíbrio financeiro, é preciso saber de onde ele vem.

2 – Use a tecnologia a seu favor

Com o Organizze, fazer a gestão dos seus recursos pessoais ou familiar é muito simples. Se você tem conta em vários bancos, diversos cartões de crédito e boletos para gerenciar, perder prazos de pagamento pode ser apenas uma das consequências mais comuns.

No fim das contas, isso ainda pode gerar multas e a cobrança de taxas de juros adicionais. Sem contar, é claro, que dependendo do tempo do atraso e do valor, pode levar a inadimplência rapidamente.

Mas a boa notícia é que não é preciso ser nenhum mestre em finanças, para cuidar do seu dinheiro. A partir do aplicativo, é possível ver facilmente receitas e despesas, a divisão entre os principais gastos, quanto sobra ou falta no fim do mês.

Acredite: você irá se surpreender com as descobertas sobre sua saúde financeira.

Assumindo os erros e encarando as contas

3 – Pague suas dívidas

Tem dívidas abertas? Então negocie o seu pagamento, antes que seu valor aumente. Fazer acordos pode ser uma das alternativas. Outra sugestão válida é trocar uma dívida mais cara por outra mais barata. 

Num primeiro momento, essa troca pode parecer não ter sentido. No entanto, quando as dívidas são colocadas na linha do tempo, a economia pode ser muito significativa.

Quem gasta mais do que ganha, precisa fazer decisões financeiras inteligentes. Por isso, pesquisar e comparar formas de quitar as dívidas e reequilibrar novamente as finanças, é muito recomendado.

4 – Gaste menos e seja estratégico

Mantenha seu orçamento dentro do limite de 30% do que você ganha. Essa é uma boa prática que pode evitar criar novas dívidas. Sim, sabemos. Falar é fácil… mas criar esse hábito também pode ajudá-lo a usar melhor seu dinheiro.

Os gastos do curto prazo podem comprometer até os recursos futuros. Assim, é muito importante pensar no agora, sem abrir mão do futuro.

Outra dica fundamental é planejar os gastos. Quer viajar no final do ano? Que tal então começar a pesquisar as passagens e estadia desde agora? Vai fechar um pacote de viagens? Então, negocie e comece a pagar antes. Com isso, não só irá saber quanto gastará, como também poderá economizar dinheiro por fazer a reserva com antecedência. 

Ter independência, liberdade e segurança financeira exigirá disciplina, mas é a partir de pequenas ações e do cuidado maior com o seu dinheiro, que você poderá viver tranquilo. Não abra mão do seu futuro. Faça seu dinheiro trabalhar por você ou você terá que trabalhar para ele.

Deixe de lado algumas vaidades e pense na qualidade de vida que você pode ter sem dívidas.

Eu Acredito em você!

Boa semana e que haja equilíbrio na sua vida!

Por

leny.espinola@oestadorj.com.br

* Radialista, Fotógrafa e Palestrante Motivacional.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e