Valor do bitcoin cai quase 50% desde máxima atingida em novembro de 2021

Os investidores estão ficando nervosos com as moedas digitais e outros ativos mais arriscados desde que o Federal Reserve dos Estados Unidos sinalizou que poderia desfazer o estímulo econômico de forma mais agressiva do que o esperado

O bitcoin já perdeu quase metade do seu valor desde o recorde atingido em novembro, e a criptomoeda continua em tendência de queda à medida que as principais economias procuram conter sua crescente popularidade.

E o movimento de queda não é exclusivo do bitcoin, já que as criptomoedas em geral estão tendo um início de ano sombrio. O bitcoin caía 2,78% nas últimas 24 horas, e estava sendo negociado a US$ 35.665 às 8h45, no horário de Brasília. A criptomoeda mais valiosa do mundo caiu mais de 20% desde o início do ano. Em novembro, foi negociada em um valor histórico de US$ 68.990.

Seus pares estão se saindo ainda pior. O ethereum, a segunda criptomoeda mais valiosa do mundo, recuava mais de 4,25% nas últimas 24 horas, e estava sendo negociado a US$ 2.498 no mesmo horário. Isso representa uma queda de quase 30% desde o início do ano.

Os investidores estão ficando nervosos com as moedas digitais e outros ativos mais arriscados desde que o Federal Reserve dos Estados Unidos sinalizou que poderia desfazer o estímulo econômico de forma mais agressiva do que o esperado.

Os governos também estão reprimindo as criptomoedas. Na quinta-feira (20), o banco central da Rússia propôs a proibição da mineração e uso de criptomoedas. A Rússia é uma das maiores nações mineradoras desses ativos do mundo, mas a autarquia disse que as moedas digitais podem representar uma ameaça à estabilidade financeira do país.

A proposta russa vem apenas alguns meses depois que a China lançou uma repressão em larga escala às criptomoedas, proibindo tanto o comércio quanto a mineração.

Outros países também estão flertando com a proibição de criptomoedas. Em novembro, a Índia disse que estava se preparando para apresentar um projeto de lei que regularia os ativos, embora muito sobre essa proposta ainda seja desconhecido.

No início desta semana, o primeiro-ministro indiano Narendra Modi disse que a cooperação global é necessária para resolver os problemas levantados pelas criptomoedas.

No entanto, nem todos são pessimistas. O banco Goldman Sachs disse que o preço do bitcoin pode chegar a mais de US$ 100.000 nos próximos cinco anos. Em um relatório divulgado no início deste mês, analistas do banco disseram que viram fortes ganhos à frente, já que a criptomoeda roubaria cada vez mais participação de mercado do ouro. CNN

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e