Uma luz cada vez mais próxima

As minhas últimas colunas aqui têm abordado mais perdas e despedidas do que propriamente vitórias e celebrações.

Não é para menos, pois há mais de um ano, desde o início dessa pandemia, não se passa uma semana em que não há alguma notícia sobre a morte de alguém do mundo do samba. E quanto a isso não existe discriminação ou escolha. A fatalidade atinge desde o mais simples e humilde até o mais reverenciado sambista.

Entretanto, esta semana finalmente tivemos uma boa notícia, que nos enche de esperança. A Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro assinou o contrato dos desfiles junto a Riotur e a prefeitura. E a novidade se torna melhor, pois o contrato, ao contrário dos anteriores que eram anuais, terá validade de quatro anos.

Isto significa que pelo menos até 2025, o primeiro ano da próxima gestão municipal, teremos garantido o Carnaval das escolas de samba. Afasta-se a possibilidade de ocorrer, pelo menos num primeiro ano, como na gestão passada, quando um prefeito, por questões dogmáticas religiosas, atuou contra as escolas de samba.

Com a celebração do acordo, a Liesa já pode iniciar a venda de ingressos para os desfiles, o que será fundamental para a entrada de recursos. As agremiações estão profundamente debilitadas financeiramente, já que há mais de um ano estão com as atividades paralisadas. As quadras estiveram todo o tempo fechadas, sem rodas de samba, ensaios, feijoadas, shows e outros eventos.

Muitas foram obrigadas a demitir funcionários. Os que ficaram, tiveram salários reduzidos ou atrasados. Muitos dos que foram demitidos foram forçados a buscar alternativas de trabalho em outro ramo e talvez nem voltem aos barracões e ateliês.

Outra boa notícia é que as quadras das escolas foram autorizadas a reabrir. Com isso, a Beija Flor já retornou com o concurso de samba-enredo. Por enquanto, os ambientes terão apenas 40 por cento da capacidade de público, obedecendo os protocolos, como uso de máscaras e higienização. Outras agremiações já anunciam, também, o retorno das disputas e das feijoadas.

Enfim, se os bons números dessas últimas semanas continuarem, com diminuição de casos de infecções e de mortes, bem como o alívio nos hospitais e o aumento da quantidade de pessoas vacinadas, podemos projetar certamente a realização do Carnaval de 2022 na data original de 25 de fevereiro. Uma luz no fim do túnel que vai ficando cada vez mais próxima.

Por

amilton.cordeiro@oestadorj.com.br

Jornalista, pesquisador de samba e compositor.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e