Tubarões são milhões de anos mais velhos que dinossauros

Essas criaturas já existiam há pelo menos 90 milhões de anos antes das árvores e 190 milhões de anos antes dos dinossauros

Os tubarões assustaram muita gente nesse verão no hemisfério norte, principalmente pela suspeita de ataques a pessoas. No entanto, os seres humanos são uma ameaça maior a estes animais do que eles são para nós.

A 34ª Shark Week, ou Semana do Tubarão, acontece de 24 a 30 de julho no Discovery Channel, e tem como objetivo incrementar as conversas e as informações sobre esses antigos predadores marinhos que são fundamentais para a saúde dos oceanos.

Existem mais de 500 espécies de tubarões. Eles são tão diversos quanto o tubarão-lanterna anão, que é menor que uma mão humana, e o tubarão-baleia, que pode chegar ao tamanho de um ônibus escolar, disse o biólogo marinho Michael Heithaus, professor e reitor da Faculdade de Artes, Ciências & Educação da Universidade Internacional da Flórida, em Miami.

Considerando que há um grande número de espécies únicas, algumas características podem ser verdadeiras para uma espécie, mas não para outra.

Esses animais existem há centenas de milhões de anos, e embora continuem a evoluir, também estão em grande perigo. A principal ameaça é a pesca excessiva

As populações de tubarões e raias caíram 71,1% entre 1970 e 2018, de acordo com um estudo de 2021 publicado na revista Nature.

Tubarões podem viver por centenas de anos

Eles têm uma das maiores expectativas de vida em comparação com outros animais.

Os tubarões da Groenlândia são, dentre os vertebrados conhecidos, os mais longevos da Terra, de acordo com um estudo de 2016 publicado na revista Science.

Pesquisadores que usam datação por radiocarbono descobriram que as espécies do Atlântico Norte provavelmente vivem em média 272 anos, e muitas vezes não atingem a maturidade até os 150 anos de idade.

Essa espécie pode viver 400 anos, estimam os cientistas.

Tubarões são mais velhos que árvores e dinossauros

A evidência mais antiga de fósseis de tubarões remonta a 450 milhões de anos, o que significa que essas criaturas já existiam há pelo menos 90 milhões de anos antes das árvores e 190 milhões de anos antes dos dinossauros.

Eles existem desde antes da separação da Pangeia, contou Catherine Macdonald, diretora da Field School e professora da Escola de Ciências Marinhas e Atmosféricas da Universidade de Miami.

Além disso, os tubarões sobreviveram a cinco extinções em massa, uma das quais dizimou cerca de 96% de toda a vida marinha.

Tubarões são úteis para o meio ambiente

Os tubarões-tigre, um dos principais predadores da Austrália, podem ajudar os ecossistemas a reagir a eventos climáticos extremos. As presas da espécie, como tartarugas-verdes, aves marinhas e arraias, evitam águas rasas, muitas vezes áreas com “gramas marinhas”.

Como resultado, as gramas marinhas podem crescer até ficarem parecidas com arbustos e criarem um refúgio, uma área de berçário para peixes jovens, camarões e caranguejos, afirmou Heithaus.

Essas plantas absorvem o carbono da atmosfera e o usam para formar seu corpo. Quando morrem, sua matéria morta vira sedimentos no fundo do oceano, e o carbono é retirado de circulação, acrescentou o biólogo.

Pesquisadores estão atualmente tentando descobrir se esse fenômeno ocorre com outras espécies de tubarões e em outros lugares, como recifes de corais.

“Parece que é mais do que apenas com tubarões-tigre. Provavelmente são essas espécies maiores que desempenham um grande papel em ajudar a moldar os ecossistemas dos quais fazem parte”, comentou Heithaus.

A gestação pode durar mais de 3 anos

Os padrões de reprodução em tubarões variam. Em média, esses animais dão à luz após 11 ou 12 meses, mas alguns tubarões, como o tubarão-babado e o tubarão-frade, podem carregar uma gravidez por mais de três anos.

Alguns tubarões, como o mako e o touro, dão à luz após gerarem o filhote, enquanto outros tubarões, como o gato, põem ovos, apontou Jasmin Graham, presidente e CEO da organização não governamental Minorities in Shark Sciences, com sede em Bradenton, Flórida.

Longos períodos de gestação, e o fato de que algumas espécies levam de 10 a 12 anos para atingir a maturidade sexual, como o grande tubarão-branco, impactam ainda mais as populações dizimadas por práticas de pesca não sustentáveis.

Tubarões não vocalizam

Tubarões são criaturas silenciosas, pois não possuem órgãos para produzir som.

Em vez de falar, eles se comunicam por meio de linguagem corporal, como “zigue-zaguear”, tremer e movimentar as mandíbulas.

Tubarões podem sentir eletricidade

Essas criaturas têm um sexto sentido: eles conseguem sentir correntes eletromagnéticas nanoscópicas. Esse sentido extra pode ajudá-los a navegar pelo oceano e encontrar presas, ou até mesmo um companheiro ou companheira.

“O impulso elétrico mínimo que o cérebro de uma presa envia ao coração para que ele bata é detectável pelos tubarões, portanto eles podem encontrar presas escondidas de forma bastante eficaz”, explicou Macdonald.

Com esse sentido cuidadosamente afinado, os tubarões caçam animais doentes e fracos, desempenhando um papel crucial para manter o ecossistema marinho saudável. CNN

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e