Trump promete usar militares caso governantes não ajam contra ‘distúrbios’

Segundo ele, um toque de recolher às 19h na cidade será aplicado de forma rígida

O presidente dos EUA, Donald Trump, disse nesta segunda-feira (1º) em Washington que vai recorrer a militares caso prefeitos e governadores não ajam contra “distúrbios” que têm ocorrido em meio a protestos pela morte de George Floyd — um homem negro assassinado por um policial branco na cidade de Minneapolis.

“Se as cidades se recusarem, eu vou destacar os militares dos EUA e rapidamente resolver o problema para eles”, disse Trump em pronunciamento na Casa Branca.

Trump afirmou ter dito a governadores que é o momento de “dominar” as ruas com uma maciça presença do aparato de segurança, e que está mobilizando todos os recursos federais, civis e militares, para conter distúrbios e saques.

Mais cedo, a CNN noticiou que Trump incentivou governadores a responderem aos protestos com agressividade.

O presidente americano chegou a falar em “milhares” de militares e forças civis para conter o vandalismo na capital do país, Washington. Segundo ele, um toque de recolher às 19h na cidade será aplicado de forma rígida.

Trump voltou a dizer que os ataques à polícia feitos por manifestantes são “atos de terrorismo doméstico”, e que a “turba furiosa” não pode se sobrepor a protestos pacíficos.

Enquanto o presidente americano discursava, policiais atiravam bombas de gás lacrimogênio nos arredores da Casa Branca, mostrou a CNN americana.

Logo após o pronunciamento, Trump deixou a Casa Branca a pé, acompanhado de secretários e assessores, e foi até a igreja de São João — considerada a “igreja dos presidentes”, frequentada desde o século 19 por mandatários americanos. CNN/Reuters

Por

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e