Transformação digital: como as mães devem ensinar e se adaptar às novas mudanças

Até pouco tempo atrás, era praticamente impossível darmos conta de tantos afazeres

O mundo mudou muito nos últimos anos. Com isso, novas profissões foram surgindo, e a mulher tem conquistado cada vez mais o seu espaço no mercado.

E o melhor de tudo é que, hoje em dia, apesar das grandes dificuldades, elas estão conseguindo conciliar melhor filhos, casa e trabalho.

No entanto, nem sempre foi assim. Até pouco tempo atrás, era praticamente impossível darmos conta de tantos afazeres, e o fator que tem maior impacto no processo de aprendizagem de uma criança sem dúvida também é o acompanhamento da mãe, sem deixar a educação dos filhos em segundo plano.

Porém, o grande diferencial dos dias de hoje para um passado não muito distante, está nas tecnologias atuais, pois elas possibilitaram que as mulheres pudessem se reinventar, descobrir novas habilidades, e se realizarem profissionalmente.

Por isso, no post de hoje, iremos falar um pouco mais sobre a transformação digital e as mães, e em como isso impacta na forma de ensinar, e também na adaptação delas próprias, em meio a tantas mudanças.

As mães e as tecnologias

Quando falamos em transformação digital, é comum logo pensarmos em nossos filhos, como se a tecnologia fosse algo restrito a eles. No entanto, a realidade é outra. O mundo digital já existe e, mesmo que muita gente ainda não tenha percebido, nos encontramos imersos a ele o tempo todo.

Com a transformação digital, novos formatos de trabalho também trouxeram muitas oportunidades para as mamães. Com isso, elas estão tendo a chance de conciliar a educação e os cuidados dos filhos, com a profissão antiga ou nova.

Afinal de contas, a tecnologia trouxe para o nosso dia a dia, uma infinidade de ferramentas, que nos auxiliam demais a desempenhar as nossas atividades. Sem contar que a qualidade do serviço é ainda superior, em comparação com as entregas que necessitam da presença física na empresa ou no escritório, por exemplo.

“Eu comecei a trabalhar em casa logo no início da quarentena, e para quem tem 3 filhos e uma casa toda para cuidar é um desafio, e para mim foi algo novo ao mesmo tempo agradável. Eu tenho que fazer o café, preparar a mesa, usar minha melhor cafeteira, meu microondas e meus eletrodomésticos favoritos para agilizar nesses processos. “

Eu começo de manhã e finalizo a tarde, coloco meu filho menor em meu melhor carrinho de bebê, e tem que ser muito confortável para ele ficar do meu lado por horas. Com a ajuda da tecnologia, faço todos os meus pratos e dos meus filhos de forma rápida e meu local de trabalho é decorado por mim. Isso me traz felicidades, conforto e me possibilitou ficar mais próximo dos meus filhos.” diz Ludmila Miranda, mãe de dois filhos e redatora da Melhor Mania.

As empresas e a cultura da presença física

A grande maioria das empresas sempre tiveram a cultura da presença física. Ou seja, para elas, o funcionário presente na empresa, teria um desempenho superior, e entregaria resultados melhores do que aqueles que trabalham em casa, no sistema de home office.

No entanto, com a pandemia, essas empresas “engessadas” foram obrigadas a se reinventarem, e a entenderem que o trabalho home office é sim extremamente vantajoso e possível para a maioria dos casos.

Nesse contexto, as mães estão mostrando para a sociedade que são sim capazes de desempenhar muito bem o seu papel de mãe, e de empreendedora ao mesmo tempo. Ao mesmo tempo, o trabalho em casa garante um relaxamento melhor.

Afinal de contas, trata-se de habilidades intrínsecas em sua natureza. Como se não bastasse, as mamães também estão mostrando para a sociedade a grande capacidade que elas têm de se adaptarem às mudanças de forma bem rápida, sem perderem a sua enorme capacidade de cuidar.

Porém, isso não quer dizer que seja fácil lidar com tudo. Mas é sim possível. E, com a transformação digital, as mulheres encontram ferramentas que ajudam a otimizar as tarefas, e favorecem sim os resultados das atividades.

Habilidades tecnológicas

É fato que muitas mães não tinham, ou ainda não têm muitas habilidades com as novas tecnologias. Porém, devido às necessidades de cada uma, e também às várias oportunidades que surgiram, elas se viram obrigadas a se inserirem e aprenderem a lidar com o mundo digital para terem oportunidades no mercado de trabalho.

Com isso, elas ainda ganharam mais um grande benefício: o de falar a mesma língua que os seus filhos. Afinal de contas, as crianças, desde muito cedo, já estão inseridas no mundo tecnológico. Por isso, conhecer e saber usar as novas ferramentas trazidas com a transformação digital é ainda mais benéfico nesse sentido.

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e