Suposto massacre de coalas gera centenas de acusações de crueldade na Austrália

Os coalas são uma espécie protegida na Austrália e enfrentam várias ameaças à sua sobrevivência

As autoridades australianas acusaram, na quarta-feira (22), um proprietário de terras e duas empresas após mais de 250 denúncias de crueldade contra animais pela morte de dezenas de coalas, durante uma operação de limpeza, realizada no ano passado.

De acordo com um comunicado do Conservation Regulator do estado de Victoria, 21 coalas foram encontrados mortos e dezenas feridos em uma plantação de madeira em Cape Bridgewater, a cerca de 370 quilômetros a sudoeste da capital do estado, Melbourne, em fevereiro de 2020.

As autoridades mataram 49 dos coalas feridos, muitos deles morrendo de fome, desidratação e fraturas, disse o comunicado.

Um homem e uma empresa de terraplenagem são acusados ​​de causar “dor ou sofrimento irracional a dezenas de coalas”, disse o comunicado.

“Eles também são acusados ​​de destruir coalas, que são uma espécie protegida.”

Eles enfrentam um total de 126 acusações cada, incluindo 18 acusações de crueldade agravada por supostamente causar ferimentos fatais. Uma acusação de crueldade foi feita contra uma empresa contratante separada por supostamente perturbar a população de coalas. A declaração não identificou os acusados.

A pena máxima para uma acusação de crueldade contra animais é quase $ 78.000 para uma empresa e mais de $ 32.000 ou 12 meses de prisão para um indivíduo.

Em um comunicado na época, o grupo conservacionista Friends of the Earth Australia chamou o incidente de “massacre de coala”, acrescentando que estava “alarmado que tal destruição desenfreada, mortes e ferimentos generalizados continuam a atormentar a indústria de plantações do sudoeste vitoriano”

Ameaças a coalas

Os coalas são uma espécie protegida na Austrália e enfrentam várias ameaças à sua sobrevivência. A população de coalas do país sofreu graves perdas durante os incêndios florestais catastróficos de 2019, que destruíram mais de 48.000 quilômetros quadrados de terra, apenas no estado de New South Wales.

Mais de 60.000 coalas morreram, perderam seu habitat ou sofreram ferimentos com as chamas, de acordo com o World Wildlife Fund. Especialistas dizem que a espécie também enfrenta extinções localizadas por causa da ameaça da clamídia, que causa cegueira e cistos dolorosos no trato reprodutivo de um coala que podem levar à infertilidade ou morte.

A crise climática tornou os coalas mais suscetíveis à doença. A clamídia se espalha mais rapidamente pela população em condições ambientais estressantes, incluindo clima quente, seca e perda de habitat, de acordo com o governo australiano.

Em meados de 2021, um relatório do governo australiano sobre o status de conservação dos coalas recomendou que o status do animal fosse alterado para “em perigo” nas regiões de Queensland, New South Wales e no Australian Capital Territory, como resultado do rápido declínio populacional nessas áreas. CNN

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e