Sou um procrastinador e agora?

Quem nunca deixou de fazer alguma coisa para última hora porque achou que não tinha muita importância naquele momento? Ou adiou uma tarefa simples por preguiça?

Print page

Foto: kevin

Quem nunca deixou de fazer alguma coisa para última hora porque achou que não tinha muita importância naquele momento? Ou adiou uma tarefa simples como lavar louças, por exemplo, por preguiça? Se você se identificou, você é um procrastinador!

Procrastinação é o diferimento ou adiamento de uma ação. Para a pessoa que está a procrastinar, isso resulta em stress, sensação de culpa, perda de produtividade e vergonha em relação aos outros, por não cumprir com as responsabilidades e compromissos. Embora a procrastinação seja considerada normal, torna-se um problema quando impede o funcionamento normal das ações.

Popularmente conhecido, o procrastinador é aquele que costuma empurrar com a barriga, tarefas e obrigações, deixando para depois o que pode ser feito na hora. Embora essa conduta seja universal, os brasileiros são culturalmente procrastinadores, pois são tradicionalmente despreocupados com prazos e atrasos.

Na visão da professora de Ética e Responsabilidade Social, Amélia das dores, na vida, o cidadão está sempre optando pelo caminho mais fácil. “As pessoas são moldadas pela sociedade para serem mais ágil, faz parte do convívio social, com isso um adiador pode ter problemas para se relacionar, pois ao postergar suas atividades ou metas pessoais, passa insegurança”.

Não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje

Parece clichê, mas para um procrastinador, deixar para amanhã o que se pode fazer no dia, não funciona. Por que não deixar para amanhã o que se pode fazer depois de amanhã? Tudo depende da importância e da prioridade que você dá para qualquer coisa.

Jacqueline da Silva de 27 anos é estudante de psicologia e é uma procrastinadora assumida. “Eu deixo tudo para última hora, sou aquelas que marcam às 19h e chega às 20h. Sei que isso é horrível, mas é mais forte do que eu. Um dia, perdi uma oportunidade maravilhosa de viajar, porque fiquei enrolando para renovar o meu passaporte, quando fui ver, já não dava mais tempo” relata Jacqueline. Segundo a estudante, postergar é mais que uma mania, é um vício, quase doença. “Eu já tive vários problemas por ser assim, até cheguei a procurar ajuda, tenho melhorado, mais ainda deixo de fazer muitas coisas consideradas simples”.

Faz parte do comportamento humano, fazer o que é mais fácil ou mais prazeroso para o próprio. Mas o que não se deve esquecer é que, deixar de fazer ou adiar qualquer tarefa que seja, pode atrapalhar tanto no desenvolvimento pessoal quantono profissional.

Por

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e