Saúde Digital

Conheça as tecnologias que ampliaram o acesso a diagnósticos no Brasil

A telemedicina, a inteligência artificial e outras modernidades estão aproximando todos os brasileiros de exames e tratamentos de qualidade.
Um programa chamado Telessaúde, o médico consegue se comunicar com profissionais de 15 especialidades.

O aconselhamento ocorre de três formas: 1) por telefone; 2) por meio de videoconferência; 3) através de uma plataforma virtual por onde são enviadas imagens e laudos.

De acordo com a dificuldade do caso e o método escolhido para fazer o contato, a recomendação para o tratamento pode sair no mesmo dia ou em até 72 horas. Além de facilitar o diagnóstico a distância, o programa conta também com o RegulaSUS, sistema que busca reduzir as filas priorizando casos graves e garantindo que os mais simples sejam resolvidos no próprio município e acompanhados remotamente por um especialista, se necessário. Segundo dados da UFRGS, após a implementação do sistema, cerca de 60% dos casos não precisaram mais ser encaminhados a grandes hospitais, desafogando o déficit de consultas – a fila que já existia foi cortada quase pela metade, de 170 mil para 90 mil pacientes.

Para além da telemedicina: a inteligência artificial

Pouco a pouco, outras tecnologias que permitem reduzir o tempo de espera e aumentar a assertividade das condutas vão se inserindo e replicando pelo país. Se a telemedicina leva atendimento de qualidade para lugares remotos, grandes hospitais começam a utilizar a inteligência artificial para indicar, com maior precisão, os tratamentos adequados para cada paciente

Tecnologia na ponta dos dedos

O fato é que a saúde já entrou na era da conexão digital. É presente. Isso vale tanto para tecnologias de ponta quanto para aquelas mais acessíveis ao cidadão, caso de aplicativos de celular.
Até porque existem situações completamente evitáveis ou controláveis com orientações e ajustes no estilo de vida. A inovação em saúde não avança sem a participação ativa dos médicos e dos pacientes.

O que pode chegar à população muito em breve

Cadeira de rodas inteligente: é a Weelie, desenvolvida por uma startup nacional. Controlada por expressões faciais, ela ajuda sobretudo tetraplégicos, que podem ir para qualquer lado usando apenas um movimento da boca, bochechas, olhos, nariz e até da língua.

Exame precoce para Alzheimer: cientistas da Universidade Federal de São Carlos criaram um teste de sangue que pode identificar a doença ainda no início. O processo dura 30 minutos e mede os níveis de uma proteína específica. Por ser uma desordem progressiva, a descoberta precoce permitiria prevenção e manejo mais eficazes.

Ponte entre o médico e o paciente: criado por outra startup brasileira, o sistema TNH Health usa inteligência artificial para compilar respostas de médicos e solucionar dúvidas de pacientes – tudo online! Com uma base de dados, é capaz de acompanhar gestações e pacientes recém-saídos do hospital, enviando orientações.

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e