Roda de samba na Pedra do Sal fica vazia com fiscalização da prefeitura do Rio

O secretário municipal de Ordem Pública, Brenno Carnevale disse que a ação, por enquanto, teve caráter de prevenção de riscos

Com fiscalização da prefeitura do Rio, roda de samba na Pedra do Sal ficou vazia
Divulgação/Prefeitura do Rio

A prefeitura do Rio de Janeiro fez na noite de segunda-feira (25) uma operação onde acontece a Roda de Samba da Pedra do Sal, no bairro da Saúde, na Zona Portuária da cidade com objetivo prevenir e fiscalizar aglomerações no tradicional ponto de concentração de público. 

Cerca de 70 agentes da Secretaria Municipal de Ordem Pública, da Guarda Municipal e da Polícia Militar ocuparam trechos estratégicos desde às 18h de segunda (25). A ação inibiu o movimento e a realização de eventos na área. As equipes permaneceram na Pedra do Sal até a madrugada desta terça-feira (26).

Durante a ação, dois depósitos clandestinos de bebidas foram interditados e dois bares foram multados por servir clientes em pé e por falta de licenciamento sanitário. Quatro vendedores ambulantes irregulares foram retirados das ruas e grades foram apreendidas pela Coordenadoria de Controle Urbano. 

O prefeito Eduardo Paes afirmou na sexta-feira (22), durante a divulgação do terceiro Mapa Epidemiológico para a Covid-19, que se as aglomerações continuassem, a Prefeitura poderia tomar medidas mais severas. 

Na mesma ocasião, Paes também disse que impediria eventos às segundas-feiras na Pedra do Sal e que, se fosse preciso, apreenderia as caixas de som do local.

O secretário municipal de Ordem Pública, Brenno Carnevale disse que a ação, por enquanto, teve caráter de prevenção de riscos. 

“Chegamos ao local antes de qualquer movimentação, que geralmente acontece neste dia. O objetivo foi fazer uma ocupação pacífica e tranquila do espaço, buscando diálogo e a prevenção ao invés da repressão. A ação é baseada na inteligência, em dados e evidências. Em paralelo, estamos dialogando com as pessoas que trabalham no evento e que também precisam sobreviver nesse momento de pandemia. A Prefeitura pede encarecidamente que a população colabore cumprindo as medidas sanitárias”, orientou.

Em dez dias, 36 bairros do Rio de Janeiro passaram por fiscalização da prefeitura. Foram 242 inspeções em estabelecimentos, 101 infrações sanitárias e 19 interdições. Entre as interdições, oito foram em eventos clandestinos em casas de festas, que teriam um público total estimado de mais de 4,5 mil participantes, e uma em parque de diversão, em Bangu, na tarde da sexta-feira (22).

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e