Rio deve decretar fim da obrigatoriedade do passaporte da vacina após Carnaval

A expectativa é que o comprovante não seja mais cobrado na capital fluminense a partir da próxima semana

Os turistas e os cariocas que pretendem curtir o Carnaval fora de época no Rio de Janeiro vão precisar comprovar a imunização completa contra a Covid-19, inclusive da dose de reforço, tanto para entrar no Sambódromo como em bares, restaurantes e estabelecimentos fechados.

No entanto, a obrigatoriedade do passaporte vacinal pode estar com os dias contados, segundo integrantes do comitê científico da cidade.

O fim da exigência do documento deve acontecer logo após o término dos desfiles das escolas de samba. Isso porque a prefeitura do Rio de Janeiro e o Comitê Especial de Enfrentamento à Covid-19 vão se reunir, na próxima segunda-feira (25), para discutir a flexibilização da medida.

Com isso, a expectativa é que o comprovante não seja mais cobrado na capital fluminense a partir da próxima semana.

O médico sanitarista e ex-ministro da Saúde José Temporão, integrante do comitê, confirmou que a manutenção ou não da cobrança do passaporte da vacina é o tema principal da pauta.

Alberto Chebabo, outro membro do grupo, admitiu que o fim da obrigatoriedade do passaporte da vacina “pode acontecer” ainda na próxima segunda-feira. Ele explicou que a medida restritiva perdeu a razão após o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciar, no último domingo (17), o fim do estado de emergência sanitária nacional por causa da Covid-19, instaurado em fevereiro de 2020.

“O assunto vai ser discutido, mas acho que pode acontecer [na próxima segunda-feira]. Até porque com o fim do decreto emergencial [anunciado pelo governo federal], caem essas medidas restritivas”, disse Chebabo.

Caso a flexibilização, de fato, ocorra na próxima semana, ela acontecerá antes do planejado pela Prefeitura do Rio de Janeiro. Inicialmente, a expectativa da Secretaria Municipal de Saúde era que a exigência só deixasse de valer quando 70% do público-alvo recebesse a dose de reforço no Rio de Janeiro. Atualmente, o indicador, de acordo com o painel da prefeitura do Rio, está estacionado em 63%.

Quarta dose

Além da flexibilização da cobrança do passaporte da vacina, a capital fluminense também reavalia os critérios para a aplicação da quarta dose. O prefeito do Rio, Eduardo Paes, publicou nas redes sociais, nesta terça, a possibilidade de ampliação da imunização.

“Acabei de solicitar ao novo secretário de saúde Rodrigo Prado, que organize a aplicação da segunda dose de reforço para as pessoas acima de 60 anos ainda no mês de abril!”, escreveu.

Segundo o painel da prefeitura, cerca de 75 mil pessoas receberam a segunda dose de reforço na cidade. Atualmente, estão aptos para recebê-la os idosos com 80 anos ou mais com pelo menos quatro meses de intervalo após a terceira dose.

Em nota, a SMS afirmou que aguarda o envio de novas doses pelo Ministério da Saúde para poder ampliar a vacinação da quarta dose de reforço para todos com mais de 60 anos. CNN

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e