Rio apresenta novo modelo para BRT

A capital fluminense vai ser a primeira do Brasil a implementar esse modelo, que já é realidade em grandes cidades mundiais como Londres, Singapura e Bogotá

O novo modelo para o sistema BRT foi divulgado pela prefeitura do Rio de Janeiro nesta segunda-feira (8). O planejamento destaca, principalmente, a concessão dividida entre a operação e a provisão da frota.

A capital fluminense vai ser a primeira do Brasil a implementar esse modelo, que já é realidade em grandes cidades mundiais como Londres, Singapura e Bogotá. De acordo com o programado acontecerá uma separação na prestação dos serviços.

A secretária municipal de transporte, Maína Celidonio, reforçou a importância dessa alteração.

“Hoje a concessão é integral. Bilhetagem, controle da frota, operação da frota… também é o dono das garagens, fica com tudo. Não podemos imaginar que ele seja o melhor para todos esses segmentos”, ponderou.

O prefeito Eduardo Paes afirmou não ter dúvidas de que estão apresentando uma solução definitiva para a operação na cidade. E falou também de uma outra novidade: a possibilidade de subsídio.

“O sistema que a gente traz nesse momento corrige os defeitos anteriores. O que ficou claro é que é impossível fazer esse sistema funcionar sem subsídios. Óbvio que esse fato não pode servir para que tenhamos um processo totalmente desequilibrado para que não fique, também, economicamente insustentável”.

Paes confirmou, ainda, que a questão deve ser deliberada na Câmara em breve.

Mudança na remuneração

O modelo também traz uma mudança na remuneração. Hoje em dia ela acontece por passageiro pagante. A nova proposta tem uma tabela base para o custo de serviço (considerando a quilometragem rodada) que será calculada junto a possíveis penalidades (no caso de ônibus não circulando corretamente) e demandas/ganhos de eficiência.

A previsão é de publicação de edital até o final desse mês. Três licitações fazem parte do plano. Bilhetagem digital (aconteceu em outubro), provisão de frotas (novembro) e operação do sistema (janeiro de 2022).

O anúncio foi feito após oito meses de intervenção temporária no sistema do transporte coletivo. O BRT entrou em operação na capital fluminense em 2012, no primeiro mandato de prefeito de Eduardo Paes, e vem colecionando reclamações de usuários por conta da degradação dos ônibus e das constantes lotações. CNN

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e