Quem nos salvará?

O ano mal começou e já estamos aqui pensando em como será 2020. Isso por que vivemos num mundo de incertezas e falta de amor ao próximo. O que podemos esperar do homem quando ele resolve seja lá por que motivo, ou mesmo sem motivo aparente, declarar guerra a humanidade. Hoje vivemos um momento muto delicado e que pode nos levar a uma guerra sem precedentes.

A terceira guerra mundial está batendo na porta do céu, como disse Bob Dylan em sua canção. Vivemos nos dias de hoje com a incerteza da vida. Eu achava que a violência cotidiana, e não me refiro somente ao Brasil, fosse o maior problema para nós, seres humanos, mas vejo que não. Estava enganado quando ainda criança, quando aprendi na escola que após a segunda guerra mundial, quando foi criada a ONU, justamente para tentar manter a paz mundial, o mundo não sofreria mais com esse problema, pois lá atrás já se dizia que uma terceira guerra levaria a humanidade a seu extermínio.

E não é que as duas nações mais inimigas do planeta resolveram em 2020 medir forças? EUA e Irã, inimigos declarados colocam a humanidade em estado de alerta. Como se já não bastassem as tsunamis, terremotos, erupções vulcânicas, todos os tipos de tragédias naturais e as causadas pelo homem, agora estamos entregues a esses líderes que só pensam em seus umbigos. A vaidade lhes arrastam à racionalidade. Acabam por se tornarem idiotas pensantes. Se julgam “Deuses” de um pedaço de terra que por motivos tortos os levam a acreditar que podem mais. E aliado a seus fetiches diabólicos de dominar o mundo, se é que haverá mundo, acreditam que o poder emana de suas entranhas. Pobres megalomaníacos travestidos de líderes de nações.

O século já havia começado com algumas mensagens que nós não levamos muito a sério ou não conseguimos captar. Terrorismo, atentados, tragédias criadas pelo homem que destrói pouco a pouco com nosso habitat. Tudo isso e mais a ganância do homem em querer mais poder, sucumbir o inimigo até que não haja mais perigo de revanche. A humanidade se ressente de homens que poderiam elevar a qualidade da vida de seus povos e talvez criar uma utopia de paz mundial.

Mas, desde que me entendo como gente, venho percebendo que isso nunca fará parte de uma realidade. Vivemos com o perigo eminente da violência urbana que na verdade é uma guerra civil. Milhares de pessoas morrem diariamente no mundo por conta de uma falta de estrutura que esses líderes ignoram. O mundo está dividido faz tempo. A guerra em sua maioria das vezes é justificada pela religião, ora, nada mais idiota que ouvir isso como justificativa. Também se justifica com politica, ideologia, interesses econômicos, que muitas vezes é mascarado por religiosidade.

Voltando ao perigo eminente, gostaria de saber o que passa pela cabeça de líderes de países como o EUA e o Irã que teimam em medir força como se fossem dois meninos jogando WAR. Também queria saber o que se passa no cérebro deles nesse momento. Parece aquela briga de garotos em que um xinga o outro e um terceiro estica o braço e diz o seguinte: quem cuspir aqui xingou a mãe do outro, é o start para a briga começar. Que Deus nos ajude!

Por

Jornalista e comentarista esportivo. Moro em Niterói há 22 anos. Fã de cultura e esportes. Ex-editor em jornais na cidade do Rio de Janeiro. Atualmente me dedico à interatividade cultural. Acredito na importância da divulgação por todos os meios da cultura nesse país.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e