Quando o carnaval passar

Carnaval em abril, a guerra na Europa acabou com a pandemia, ninguém nem lembra mais. Diante da aceleração global, não sabemos mais de nada

Tempos atrás dizíamos que o ano só começava depois do carnaval. Agora eu aqui me fazendo uma pergunta que não quer calar: mas então em 2022 o ano só vai começar em maio, pois o carnaval será entre os dias 20 e 24 de abril. Tudo por conta da pandemia. E o que mais me deixou intrigado é que pela primeira vez na minha vida, percebo que a semana santa virá antes do carnaval. O que me preocupa é saber se viveremos até as eleições majoritárias em outubro.

Um basta para a quaresma! Estamos mesmo mudando a forma de viver. Faz uns dez dias que eu acreditava que a pandemia já tinha acabado, é que não vejo mais noticiários falando sobre ela ou sobre pessoas sem máscaras nas ruas. Juro que para mim havia acabado. Eu estou confuso. Outro dia precisei ligar para um órgão público e a atendente me disse que era para eu voltar a ligar logo após o carnaval. E eu perguntei qual? O oficial ou o remarcado? O remarcado ou o oficioso? Minha cabeça está entrando em parafuso. Tenho que admitir que muita coisa anda me deixando com a cabeça virada.

Se antes era a apoteose, hoje reina um silêncio incomum

Notícias falsas dadas por empresas que acreditava serem sérias, inversão de valores em várias camadas sociais, politicas, humanas, etc. Vivemos hoje sem saber o que vai acontecer amanhã, uma vez que tudo muda de acordo com o vento politico-ideológico. A internet veio para confundir, diria o “Velho Guerreiro”, e tenho que concordar com seu pensamento. Aliás, o Chacrinha foi um dos maiores comunicadores desse país e deve estar triste olhando lá de cima as atrocidades feitas por nossa mídia midiática. Tudo por um clique. Tudo por um like. Cada bizarrice que encontramos pelo caminho que as vezes é melhor fazer de conta que não viu nada. Assim como sempre fizemos com o Brasil.

2022, ainda na marola da pandemia, teve seu curso levemente alterado, como foi feito com o São Francisco para levar água ao nordeste. Que bom! Finalmente as borrachas e os caminhões serão aposentados, contrariados, mas serão. Dizem que seria como uma cirurgia de ponte de safena, onde vc substitui o vaso entupido por um novo, e de dentro do próprio corpo. Me pergunto por que demoraram décadas para que se fizesse essa cirurgia geográfica e salvasse vidas. Melhor não perguntar, pois a resposta pode me irritar e ainda falta muito tempo para o “novo” carnaval e até lá preciso ter paciência.

Na terça-feira agora, que seria a famosa terça feira gorda de carnaval e que, diante da troca, me pareceu mais uma terça feira diet, recebi uma ligação do meu irmão Juarez Botelho. Fazia um tempo que não nos falávamos, e ele já veio falando sobre o conflito na Europa, a guerra entre Rússia e Ucrânia. Triste perceber que no terceiro milênio ainda convivamos com barbáries como essa. Mas se levarmos em consideração que ainda vivem sobre o planeta seres humanos, é aceitável que esses episódios ainda ocorram. Só sei que nenhum dos lados é santo na história. O que me preocupa e entristece é que quem sofre é o povo, quem morre é o povo.

Por

alexandre.mauro@oestadorj.com.br

Jornalista e comentarista esportivo. Moro em Niterói há 22 anos. Fã de cultura e esportes. Ex-editor em jornais na cidade do Rio de Janeiro. Atualmente me dedico à interatividade cultural. Acredito na importância da divulgação por todos os meios da cultura nesse país.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e