Pseudociese: entenda mais sobre a gravidez psicológica em cães

Ao acreditar mesmo que esteja grávida, a cadela chega a produzir leite e em alguns casos, pode aparecer inclusive corrimento vaginal, aumento do abdômen e agressividade

Assim como os seres humanos, os cães também podem desenvolver uma gravidez psicológica. Geralmente, os animais com o distúrbio começam a apresentar um comportamento maternal, fazendo com que objetos ou brinquedos sejam cuidados como verdadeiros filhotes de cachorro.

Essa síndrome, conhecida como pseudociese, geralmente aparece depois da fase do cio, mesmo sem a cachorrinha ter tido contato com um macho. A falsa gestação pode afetar qualquer raça de cachorro, independentemente da idade ou tamanho.

Ao acreditar mesmo que esteja grávida, a cadela chega a produzir leite e em alguns casos, pode aparecer inclusive corrimento vaginal, aumento do abdômen e agressividade.

Outros comportamentos diferenciados incluem: falta de apetite, cavar algum canto da casa, ficar irritada ou deprimida, cuidar de outro bichinho como se fosse cria, etc. Essa síndrome pode atingir até 70% dos cães, sendo que muitas vezes, os sintomas não são rapidamente descobertos pelos seus donos.

Esse comportamento faz parte da evolução dos cães. Quando viviam de forma selvagem, os cães, assim como os lobos, costumavam andar em grupo, cuidando de todos os filhotes. Dessa forma, a gravidez psicológica em cadelas possibilitava a produção de leite em grande quantidade, aumentando as chances de todos os filhotes sobreviverem.

Atualmente, por serem animais domésticos, este comportamento é prejudicial e não tem necessidade de acontecer. Apesar dos sintomas sumirem, a cadela com a síndrome pode desenvolver doenças graves, inclusive tumores.

Entendendo os sintomas da pseudociese

Os sintomas acontecem por causa da mudança hormonal nas cadelas que estão com a síndrome. Por durar até mais de uma semana e pode ser confundida com uma gravidez de verdade.

O ideal é procurar imediatamente o veterinário, assim que aparecerem os primeiros sintomas, como:

● Comportamento maternal: a cadela adota algum brinquedo ou objeto e começa a tratá-lo como um filhote de verdade, com muito amor, atenção, ciúmes e carinho;

● Alterações psicológicas: geralmente, ela fica mais irritadiça, agressiva ou até mesmo depressiva,

● Alterações físicas: as mamas aumentam e chegam a produzir leite. Muitas vezes a cadela pode perder o apetite também.

Diagnóstico da gravidez psicológica em cães

O veterinário poderá solicitar exame de imagem (ultrassonografia) para verificar se a gravidez é psicológica ou não. Caso seja necessário, o profissional também irá prescrever medicamentos antigalactogênicos (para inibir a produção de leite) ou ansiolíticos, para evitar a depressão e irritabilidade no bichinho.

Outro tipo de tratamento indicado, pode ser o uso do colar elizabetano — o famoso “cone da vergonha” — a fim de evitar que a cadela estimule as glândulas mamárias ao se lamber.

Dependendo do caso, poderá ser solicitado a castração da fêmea, o que previne outros problemas, como: a piometra (infecção no endométrio) e problemas na mama, como mastite e o câncer. A infecção da mama acontece, pois o cãozinho produz leite e não há a amamentação. O leite fica então petrificado, ocasionando a inflamação das mamas e até febre.

Respeitar o estado físico e psicológico do animal de estimação com essa síndrome também é super importante.

Mas por que a gravidez psicológica em cães ocorre?

Quando as cadelas entram no cio — equivalente ao período menstrual nas mulheres — elas ovulam e dessa forma sofrem fortes alterações hormonais. Uma dessas é a queda do hormônio progesterona, seguido pelo aumento do hormônio prolactina, responsável pela produção de leite.

A pseudociese é muito comum em cadelas que já cruzaram, mas pode chegar a ocorrer também em animais que nunca acasalaram. A produção de leite neste período é muito comum.

Quando há a gestação verdadeira, a cadela voltará ao normal dentro de 4 a 8 semanas após parir. Sendo assim, os sintomas da pseudociese devem desaparecer em até oito semanas.

Segundo os veterinários, a solução mais eficaz para evitar a pseudogestação em cadelas é a castração do animal. Ao extrair o útero e os ovários, a cadela não irá mais produzir a prolactina — um dos principais hormônios da gestação — e nunca mais sofrerá os sintomas da falsa gravidez.

Por

Webjornal O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e