Proteção cai com o tempo independentemente da vacina, diz presidente da SBIm

Com a decisão da Saúde, o intervalo para quem completou as duas doses e precisa se vacinar com a dose de reforço é agora de cinco meses

Em uma entrevista à CNN, o presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), Juarez Cunha, afirmou que a proteção das vacinas contra a Covid-19 diminui com o passar do tempo, independentemente da plataforma.

O especialista também disse que a estratégia de vacinação poderia ser diferente da anunciada pelo Ministério da Saúde nessa terça-feira (16).

A pasta reduziu o intervalo para a dose de reforço e ampliação da faixa etária de quem deve receber a terceira dose do imunizante contra a doença para todos os maiores de 18 anos.

“Poderíamos progredir de uma forma mais lenta”, disse Cunha.

“Talvez fosse mais interessante progredirmos por faixa etária, por exemplo.”

Com a decisão da Saúde, o intervalo para quem completou as duas doses e precisa se vacinar com a dose de reforço é agora de cinco meses. Além disso, a nova orientação é que todas as pessoas acima de 18 anos, independentemente de que vacina tomaram antes, precisarão tomar uma terceira dose de reforço do imunizante contra a Covid-19.

“Temos outras prioridades”, disse Cunha sobre o anúncio, ainda que não o considere “ruim”. Algumas delas, para o presidente da SBIm, são vacinar um percentual maior da população que ainda não se vacinou e a aplicação da segunda dose. CNN

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e