Pra você que não vai viajar, foi a melhor escolha!

No meio do ano pensei que no carnaval as coisas estariam melhores. O ano novo chegou e as perspectivas não mudaram. E agora? Bem, já resolvi a minha vida nesse Carnaval.  

Um Carnaval virtual em tempos de pandemia é a melhor opção. A suspensão do carnaval de rua, blocos e escolas de samba, além de bailes em clubes, fará desse Carnaval uma espécie festa íntima. Isso porque algumas pessoas levarão a sério o risco de contágio da COVID19 e farão de tudo para se isolarem em suas casas com seus familiares, ao passo que boa parte sairá a todo vapor atrás de um trio elétrico que não vai passar, e o que encontrar ao final será uma quarta feira “negra”.

Estou aqui com meus botões aguardando os acontecimentos. Parece que a população ainda não percebeu que a cada evento e aglomeração, as coisas só pioram e muitas pessoas falecem, até mesmo sem ter participado de tamanha irresponsabilidade. Sei que vivemos num mundo altamente competitivo e veloz. Vejo também que de nada vai adiantar colocar os carros na frente dos bois nesse momento porque podemos não ter tempo de ajustarmos os bois lá na frente.

Saudades de pôr os pés na areia

Ansiedade é a doença do novo milênio, mas por que não cuidamos dela com o doutor? Tomando um remédio para nos acalmarmos? Lembre-se que se hoje você se cuida, amanhã você pode sair e festejar. Pode ver seu amigo e familiar que não vê faz tempo. A pressa não é apenas inimiga da perfeição, ela agora também é inimiga da vida. Outros carnavais virão, outras festas e eventos. Outros encontros com amigos e aquele chopinho gelado também estarão lá daqui um, dois, três anos…

Agora, a nossa vida não! A vida do próximo também não. Então por que não sossegamos nesse Carnaval em casa, curtindo um momento em família, vendo filmes, ouvindo música e até mesmo fazendo um churrasco,  para aqueles que provêm de espaço em casa? A internet está aí para lhe trazer boas lembranças. Você pode ver os desfiles que você mais gostou nela. Matar saudades de tudo. Vai a dica: nesse Carnaval, preserve-se, e a quem você ama, fique em casa. Não aglomere, não saia para curtir o Carnaval porque no final, a quarta-feira de cinzas te trará consequências que você pode não gostar.

Vocês podem estar pensando que eu sou um jornalista amargurado, de mal com a vida, mal amado, enfim, adjetivos não vão faltar, mas a verdade é que estamos vivendo num mundo caótico e que as pessoas se esqueceram de fazer uso da empatia. E é por isso que a cada ano perdemos mais a noção de comunidade. Escrevi esse texto hoje, início do Carnaval justamente por achar a data mais propícia. Assim como você que não aguenta mais ficar em casa ou sair apenas para o necessário, eu também me sinto assim, mas não quero trazer o caos para minha família.

Sem desfile, mas com responsabilidade

Já me programei nesse Carnaval: muitos filmes e séries, cerveja, comidas leves e muito trabalho. O mundo não vai acabar na quarta-feira de cinzas, pelo contrário, me guardando eu tento esticar minha permanência por aqui por mais tempo. Sei que cada um fazendo a sua parte, nosso país poderá sair dessa pandemia mais fortalecido. Respeitar as pessoas é dever, cidadania. Por isso vou respeitar a vida ficando em casa. E pra você que vai viajar, lembre-se: use máscara e evite aglomeração. Lave bem as mãos.

Por

alexandre.mauro@oestadorj.com.br

Jornalista e comentarista esportivo. Moro em Niterói há 22 anos. Fã de cultura e esportes. Ex-editor em jornais na cidade do Rio de Janeiro. Atualmente me dedico à interatividade cultural. Acredito na importância da divulgação por todos os meios da cultura nesse país.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e