PM passa a utilizar motos no atendimento do serviço 190

O serviço já está em fase experimental no 5º Batalhão da PM, no bairro da Saúde

Print page

O serviço 190 da Polícia Militar passou a contar com motos para atender aos chamados. A ideia é ampliar a mobilidade dos policiais e agilizar a chegada ao local da ocorrência. O serviço já está em fase experimental no 5º Batalhão da PM, no bairro da Saúde.

O objetivo é de que, até o fim deste mês, ele seja implantado nos batalhões da Tijuca, de Jacarepaguá, do Recreio e de Niterói. A escolha dos bairros foi baseada em um estudo que levou em consideração fatores como, por exemplo, o tempo entre o acionamento feito pela população ao 190 e o atendimento dos policiais.

Cada batalhão irá receber oito motos e o atendimento será feito em duplas. No total, 40 militares vão se revezar nos chamados. A expectativa é de que pelo menos quatro viaturas, que eram usadas nos chamados do 190 para o patrulhamento das ruas, sejam deslocadas para outros pontos da cidade. O serviço será utilizado todos os dias, entre 10h e 22h.

“O objetivo é reduzir o tempo de atendimento das ocorrências. O motoatendimento não veio para substituir as antigas viaturas, mas para agregar o trabalho já realizado pela PM”, afirmou o tenente-coronel Marcelo Rocha, chefe de Planejamento Operacional da Polícia Militar.

Os policiais militares tiveram capacitação de um mês com agentes do Grupamento Tático de Motociclistas (GTM) e receberam instruções sobre o motopatrulhamento urbano. De acordo com a PM, o Centro de Operações da corporação vai monitorar o novo atendimento, para que o serviço seja estendido a outros bairros da capital.

Por

Webjornal O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.