PIX Banco Central & QR Code

A ideia é que TED, DOC, boletos e cheques sejam deixados para traz

Em fevereiro de 2020 o Banco Central anuncio o sistema PIX, que será utilizado para a realização de transferências e pagamentos instantâneos. A expectativa é que passe a vigorar em novembro de 2020, embora a pandemia do Coronavírus possa atrapalhar esse cronograma.

A ideia é que TED, DOC, boletos e cheques sejam deixados para traz. Esse será um concorrente de peso para os cartões de crédito. Por enquanto o Banco Central ainda não divulgou todos os detalhes sobre o funcionamento do PIX, mas algumas informações já mostradas são bem bacanas.

O que é PIX

O PIX é um sistema destinado a transferências de dinheiro e pagamentos instantâneos, que permitirá operações desse tipo em qualquer período do dia. Não importa se vai ser durante a madrugada ou nos fins de semana, se precisa fazer um pagamento utilizando essa plataforma, será possível.

Porém, esse não é somente mais um serviço de crédito lançado. A ideia é que o PIX altere toda a dinâmica do mercado financeiro no Brasil. É claro que isso não vai ser do dia para a noite, mas a expectativa é de que os cartões de crédito percam espaço de maneira gradual.

A tecnologia que permite o envio de dinheiro em poucos segundos já existe. Por isso, não faz muito sentido esperar hora até que as transações sejam finalizadas. Pagar com QR Code é algo que se tornará realidade no Brasil.

A ideia é que os boletos bancários pagos hoje em dia, que possuem prazo de validade indo de um até três dias úteis sejam reconhecidos dentro de uma hora. E com o passar do tempo, essa tecnologia deverá se tornar cada vez mais rápida e interessante.

As principais características do PIX

O PIX pode ser apresentado de uma maneira geral com seis características principais. Vamos falar sobre elas:

– Ambiente aberto: ele estará disponível não somente para as instituições financeiras tradicionais, como os bancos, mas também para fintechs.

– Conveniência: sua utilização deverá se tornar cada vez mais simples.

– Disponibilidade: todas as operações poderão ser realizadas a qualquer momento, em qualquer dia.

– Velocidade: os pagamentos serão executados praticamente em tempo real. Em 10 segundos os valores serão aprovados.

– Segurança: todas as movimentações estarão de acordo com a Rede do Sistema Financeiro Nacional (RSFN).

– Múltiplos usos: com o PIX será possível realizar múltiplas transferências, de qualquer valor e entre pessoas e empresas diferentes. O PIX será útil para compras físicas e online.

Os pagamentos por QR Code

O QR Code é uma ferramenta que pode ser utilizada das mais variadas formas, seja para acessar o WhatsApp Web ou para ter aceso a outras ferramentas. Só que ele também é muito útil para a realização de pagamentos. Talvez você já tenha visto um desses em alguma loja.

É uma modalidade que está crescendo no mundo inteiro e o Brasil não fica de fora. PicPay e Mercado Pago são gigantes que já entraram nessa onda. A partir disso, o PIX vai trabalhar com dois tipos de QR Code:

– QR Code dinâmico: ele será destinado principalmente a transações, sendo que poderá incluir informações para dar segurança a operação.

– QR Code estático: um único código valerá para diversas transações, podendo incluir um valor fixo ou não. Esse código poderá ser utilizado por lojistas e prestadores de serviços.

DOC, TED e boletos vão sofrer

As formas que conhecemos para pagar tendem a perder força assim que o PIX começar a funcionar. A expectativa é que itens como DOC, TED e os boletos percam força, já que a nova ferramenta poderá substituir todos eles.

A ideia do Banco Central é que a utilização do PIX seja tão fácil quanto a realização de pagamentos feitos com dinheiro em espécie. A Transferência Eletrônica Disponível (TED) e o Documento de Ordem de Crédito (DOC) devem perder espaço. Não vai acontecer imediatamente, mas é algo para se esperar ao longo dos anos.

Além de todo o procedimento acontecer de uma maneira mais rápida, essa modalidade será mais prática, já que funcionária por meio de QR Code. As formas de pagamentos como conhecemos não serão mais as mesmas dentro de alguns anos.

Por

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e