Piauí investe R$ 80,9 milhões para formar empreendedores e combater pobreza

Atualmente, o estado tem 47 instituições de ensino superior, que ofertam cursos presenciais, e 50 de educação à distância

O estado do Piauí, que apresenta a maior taxa de escolarização líquida do Nordeste (20,8%), investiu R$ 80.851.508 entre 2017 e 2021 em um projeto que o transformou, neste ano, no primeiro do país a oferecer acesso ao ensino superior em todos os seus municípios, reforçando a aposta do governo estadual na educação para fomentar o empreendedorismo e combater a pobreza.

O secretário de Educação do Piauí, Ellen Gera, afirmou à Agência Efe que a Universidade Aberta do Piauí (Uapi), iniciativa do governo estadual criada em dezembro de 2016, em parceria com a Universidade Estadual do Piauí (Uespi) e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (Fapepi), já conta com 183 polos presenciais, e é o principal motor para a universalização do ensino superior no estado.

“O Piauí hoje pode se orgulhar e dizer que tem oferta de ensino superior em todos os (224) municípios. Por que isso é importante? Porque fixa o estudante no seu município. Quando o cidadão não tem uma oferta dessas perto de casa, ele vai avançando na escolaridade e saindo de municípios menores para outros maiores, e muitas vezes ele não retorna, não beneficiando seu local de origem”, explicou Gera.

No total, há 8.000 alunos matriculados no Bacharelado em Administração, com foco em empreendedorismo, único curso oferecido nesta etapa e desenvolvido especialmente para o projeto, que conta com tecnologias de ensino à distância, como transmissão de aulas via satélite, e outras plataformas que proporcionaram que o cronograma de estudos não fosse impactado pela pandemia de covid-19.

“É um projeto que tem a intenção de chegar nos municípios menores com um curso que é muito importante para o nosso estado. Escolhemos Administração com foco em empreendedorismo nesse primeiro momento justamente com o objetivo de qualificar esses estudantes em uma área que possibilitasse a aplicação dos conhecimentos adquiridos por eles em seus próprios municípios”, disse Gera.

O estado, que conta com 3,3 milhões de habitantes, tem registradas 179.184 empresas, segundo dados de 2001 da Receita Federal, sendo 75.269 MEIs e 19.126 médias e grandes, com uma taxa de empreendedorismo de 5,46%, de acordo com o IBGE.

Segundo o titular da Secretaria de Educação, os primeiros alunos do projeto devem se formar ainda em 2022, e a expectativa é poder oferecer novas vagas em 2023 e inaugurar novos cursos de graduação e também de pós-graduação em áreas que ainda estão sendo estudadas pelo governo.

Educação e combate à pobreza

Gera afirmou que os recursos financeiros para a manutenção da UAPI, que iniciou as aulas para aqueles que se matricularam na terceira etapa de expansão do projeto no dia 29 de janeiro, vêm do fundo de combate à pobreza do estado.

Nesse sentido, ele ressaltou a importância desses investimentos em qualificação para o aumento da inserção no mercado de trabalho e para o desenvolvimento social e econômico dos alunos matriculados, de suas famílias e também dos municípios, o que é um dos principais objetivos do governo local.

Atualmente, o estado tem 47 instituições de ensino superior, que ofertam cursos presenciais, e 50 de educação à distância, segundo dados divulgados em 2021 pelo Semesp, uma entidade que representa mantenedoras do setor no Brasil.

Em 2019, o Piauí registrou 136 mil matrículas no ensino superior, 102 mil em cursos presenciais (75,2%) e 33,8 mil na modalidade à distância, 62,7% delas em instituições privadas.

Além disso, o Piauí é o estado do Nordeste com a maior taxa de escolarização líquida (que mede o percentual de jovens de 18 a 24 anos matriculados no ensino superior em relação ao total da população da mesma faixa etária), 20,8%, porcentagem que supera a média nacional (18,1%). EFE

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e