Pesquisa no Rio mostra Bolsonaro vai melhor no Sudeste

No cenário de pesquisa estimulada para Presidência, quando o nome dos candidatos é apresentado, Bolsonaro aparece em segundo, com 31% dos votos, atrás do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que tem 39%

A pesquisa de intenção de voto no Rio de Janeiro Quaest/Genial divulgada nesta terça-feira pela CNN revela que o estado é o que o presidente Jair Bolsonaro (PL) tem maior potencial eleitoral na região Sudeste. A avaliação é do CEO da Quaest, Felipe Nunes, ao comparar o rendimento do atual presidente no Rio – terceiro maior colégio eleitoral do país – com levantamentos feitos em São Paulo e Minas Gerais.

“Os dados do Rio mostram a primeira vez que Bolsonaro aparece como candidato mais competitivo no Sudeste”, afirmou Nunes.

No cenário de pesquisa estimulada para Presidência, quando o nome dos candidatos é apresentado, Bolsonaro aparece em segundo, com 31% dos votos, atrás do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que tem 39%. Bolsonaro pontua melhor no Rio do que em São Paulo, onde o último levantamento mostrou o presidente com 25%, e em Minas Gerais, com 21%.

Para Nunes, os dados revelam que Bolsonaro e Lula são padrinhos políticos muito fortes e decisivos para eleição no estado. O atual governador Cláudio Castro (PL) se consolidou como nome forte e a presença de Bolsonaro em seu palanque não lhe é um peso.

Lula e Bolsonaro tem, até aqui, influência semelhante na escolha do eleitor para o governo do Rio. Dos eleitores do estado, 36% admitem que poderiam mudar sua preferência para votar num candidato apoiado por Lula e 32% mudariam o voto para escolher alguém apoiado por Bolsonaro. O petista declarou apoio a Marcelo Freixo (PSB). Em um cenário estimulado de segundo turno, esta ligação faria o socialista derrotar o atual governador do Rio.

“O Lula está pontuando um pouco abaixo no Rio no comparativo com outros estados e Bolsonaro vai bem mais consistente. Castro está consolidado como nome da direita e Freixo aparenta estar muito dependente do Lula”, comentou Nunes sobre os líderes do levantamento.

O peso de Eduardo Paes

O desempenho do prefeito Eduardo Paes (PSD) como “eleitor”, ou seja, alguém capaz de influenciar os votos dos fluminenses, foi baixo neste primeiro levantamento. O apoio de Paes influencia menos os eleitores do estado que Lula, Bolsonaro e até Sergio Moro.

“Castro pontua bem na capital, e o Felipe Santa Cruz, candidato do Eduardo Paes, ainda é pouco conhecido. O prefeito ainda não é um eleitor importante”, afirmou Nunes.

Eduardo Paes afirmou que o resultado da pesquisa mostra um cenário “bem diferente” da eleição nacional. “Aqui está totalmente em aberto e por isso Felipe vai ganhar”, afirmou, em referência às respostas espontâneas da pesquisa: 90% dos eleitores fluminenses disseram ainda não ter escolhido ou estarem indecisos em relação ao nome para o governo do Rio.

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e