Paz momentânea no samba

Esta semana ficou finalmente resolvido o imbróglio envolvendo o resultado do desfile do grupo especial das escolas de samba do Rio de Janeiro. A Liesa realizou a assembleia geral que ratificou o cumprimento do regulamento e o descenso da Imperatriz Leopoldinense e do Império Serrano. Também ficou decidida a permanência do presidente Jorge Castanheira, que ameaçara renunciar ao cargo, caso prevalecesse a virada de mesa.

Com isso, parece afastada a crise na entidade e a disputa de poder está momentaneamente abafada. No entanto, nos bastidores a divisão se mantém, com dois grupos com posições diferentes. Isto se reflete até mesmo no resultado da votação na assembleia. O placar de 28 a 13, a favor de Castanheira, indica que o grupo que apoiou a Imperatriz, embora perdedor, continua firme em suas posições.

O importante é que, superada a confusão, agora as escolas começam a pensar em 2020. Na próxima quarta-feira acontecerá o sorteio da ordem de desfile da Liesa.

O contrato dos direitos de transmissão também já pode ser assinado, pois a TV Globo aguardava o desfecho da situação para concluir as negociações. Nesta época do ano, inclusive, as escolas já deveriam estar recebendo a verba da primeira parcela do acordo.

A Lierj, entidade do grupo de acesso, também aguardava a resolução da Liesa para poder deslanchar o seu processo, já que dependia da definição para incluir a Imperatriz em seu grupo. A Lierj anunciou a data do sorteio da ordem do seu desfile para o dia 23 de julho.

Enfim, agora é correr para tirar o atraso provocado por tudo isso. Era o que faltava para se iniciar o novo ciclo, rumo a 2020.

Por

Jornalista, pesquisador de samba e compositor.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e