Ônibus de 2 andares de Londres será elétrico e pode ter contribuição brasileira

O Reino Unido já anunciou que proibirá a venda de veículos de passeio a combustão a partir de 1º de janeiro de 2030. Neste mês, o prefeito da capital Londres, Sadiq Khan, disse que todas as modalidades do transporte público da cidade também se tornarão elétricos a partir de 2034, poucos anos após os carros. O famoso “London Tube”, o metrô subterrâneo da cidade, já opera apenas com eletricidade há décadas, mas ele não é o único ícone londrino do transporte público. Os “Black Cabs”, táxis da cidade, já contam com veículos híbridos que utilizam tecnologia da Volvo para ajudar na redução das emissões de poluentes. Restavam os “Double Deckers”, os icônicos ônibus de dois andares de Londres. Algumas unidades híbridas já rodam na frota, porém ela ainda é majoritariamente composta por motores a diesel. Com o anúncio de Khan, a renovação da frota deverá começar a acontecer com mais intensidade, e as opções 100% elétricas já começam aparecer. Leia mais Montadoras oferecem serviço de carro por assinatura; veja quanto pode custar Montadoras oferecem serviço de carro por assinatura; veja quanto pode custar 2021 ainda não acabou: veja 5 carros que serão lançados até o fim do ano 2021 ainda não acabou: veja 5 carros que serão lançados até o fim do ano Carro PcD: veja quem tem direito e como comprar veículo com isenção de imposto Carro PcD: veja quem tem direito e como comprar veículo com isenção de imposto Londrino, mas com toque brasileiro Três dias após o anúncio do prefeito Sadiq Khan, a britânica Equipmake, especializada no desenvolvimento de conjuntos motrizes elétricos, já apresentou uma alternativa elétrica para os Doble Deckers. É o Jewel E, ônibus de dois andares que promete atender às necessidades dos usuários de transporte público londrinos. No Jewel E, a Equipmake é responsável pelo motor e pelas baterias, enquanto a espanhola Beulas fornece a carroceria de dois andares. O desenvolvimento do chassi do ônibus, porém, foi realizado em parceria com a brasileira Agrale, especializada em veículos comerciais e agrícolas. Desde 2019, a Agrale e a Equipmake atuam juntas no fornecimento de ônibus elétricos convencionais (de um andar) para a cidade de Buenos Aires, na Argentina. Mais capaz que os ônibus de hoje A Equipmake ainda não revelou quanto o Jewel E irá custar, mas já está aceitando reservas. O ônibus terá três opções de conjuntos de baterias, duas de motorização e mais algumas em relação à configuração dos assentos. Sua capacidade será de até 70 passageiros sentados e mais 22 em pé, podendo ainda trazer uma rampa e assento específico para cadeirantes. Seu peso pode chegar a 12.750 kg contando com a maior bateria, enquanto a carga útil será de 6.250 kg. Com isso, seu peso bruto total poderá chegar a nada menos que 19 toneladas. Nas medidas, também não é nada pequeno, com 10,85 metros de comprimento, 6 metros de entre-eixos, 4,38 metros de altura e 2,55 metros de largura. Para garantir que esse “monstro” de metal consiga circular com segurança pelas ruas londrinas, a Equipmake oferece algumas alternativas. O Jewel E pode contar com um ou dois motores elétricos. No último caso, sua potência pode chegar a 544 cv de potência. O importante mesmo é o número de torque, de 357 kgfm. Na comparação com um ônibus a diesel convencional, o elétrico oferece mais em ambas as grandezas. Mas para alimentar os motores elétricos são necessárias as baterias para armazenar energia. No caso do Equipmake Jewel E, são oferecidos três conjuntos que variam o quanto pode ser armazenado. Eles são de 325 kWh, 434 kWh ou 543 kWh, contando com arrefecimento e aquecimento para evitar a degradação dos materiais em temperaturas extremas. Com a bateria maior, a autonomia do ônibus elétrico chega a 402 km, mais do que a maioria dos modelos a diesel em uso hoje

O Reino Unido já anunciou que proibirá a venda de veículos de passeio a combustão a partir de 1º de janeiro de 2030. Neste mês, o prefeito da capital Londres, Sadiq Khan, disse que todas as modalidades do transporte público da cidade também se tornarão elétricos a partir de 2034, poucos anos após os carros.

O famoso “London Tube”, o metrô subterrâneo da cidade, já opera apenas com eletricidade há décadas, mas ele não é o único ícone londrino do transporte público. Os “Black Cabs”, táxis da cidade, já contam com veículos híbridos que utilizam tecnologia da Volvo para ajudar na redução das emissões de poluentes.

Restavam os “Double Deckers”, os icônicos ônibus de dois andares de Londres. Algumas unidades híbridas já rodam na frota, porém ela ainda é majoritariamente composta por motores a diesel. Com o anúncio de Khan, a renovação da frota deverá começar a acontecer com mais intensidade, e as opções 100% elétricas já começam aparecer.

Londrino, mas com toque brasileiro

Três dias após o anúncio do prefeito Sadiq Khan, a britânica Equipmake, especializada no desenvolvimento de conjuntos motrizes elétricos, já apresentou uma alternativa elétrica para os Doble Deckers. É o Jewel E, ônibus de dois andares que promete atender às necessidades dos usuários de transporte público londrinos.

No Jewel E, a Equipmake é responsável pelo motor e pelas baterias, enquanto a espanhola Beulas fornece a carroceria de dois andares. O desenvolvimento do chassi do ônibus, porém, foi realizado em parceria com a brasileira Agrale, especializada em veículos comerciais e agrícolas.

Desde 2019, a Agrale e a Equipmake atuam juntas no fornecimento de ônibus elétricos convencionais (de um andar) para a cidade de Buenos Aires, na Argentina.

Mais capaz que os ônibus de hoje

A Equipmake ainda não revelou quanto o Jewel E irá custar, mas já está aceitando reservas. O ônibus terá três opções de conjuntos de baterias, duas de motorização e mais algumas em relação à configuração dos assentos. Sua capacidade será de até 70 passageiros sentados e mais 22 em pé, podendo ainda trazer uma rampa e assento específico para cadeirantes.

Seu peso pode chegar a 12.750 kg contando com a maior bateria, enquanto a carga útil será de 6.250 kg. Com isso, seu peso bruto total poderá chegar a nada menos que 19 toneladas. Nas medidas, também não é nada pequeno, com 10,85 metros de comprimento, 6 metros de entre-eixos, 4,38 metros de altura e 2,55 metros de largura.

Para garantir que esse “monstro” de metal consiga circular com segurança pelas ruas londrinas, a Equipmake oferece algumas alternativas. O Jewel E pode contar com um ou dois motores elétricos. No último caso, sua potência pode chegar a 544 cv de potência. O importante mesmo é o número de torque, de 357 kgfm. Na comparação com um ônibus a diesel convencional, o elétrico oferece mais em ambas as grandezas.

Mas para alimentar os motores elétricos são necessárias as baterias para armazenar energia. No caso do Equipmake Jewel E, são oferecidos três conjuntos que variam o quanto pode ser armazenado. Eles são de 325 kWh, 434 kWh ou 543 kWh, contando com arrefecimento e aquecimento para evitar a degradação dos materiais em temperaturas extremas.

Com a bateria maior, a autonomia do ônibus elétrico chega a 402 km, mais do que a maioria dos modelos a diesel em uso hoje.

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e