Obrigado por tudo, Marly

Olá, estou de volta! Passei essas três semanas me reinventando. Ao longo desses dias não consegui escrever uma linha sequer e hoje entendi o porquê. Precisava por pra fora esse sentimento que me acompanhava.

Dia 23 de agosto minha mãe faleceu e está sendo muito difícil conviver com isso. Sei que era de se esperar que um dia isso acontecesse, mas nunca estamos preparados para viver esse momento. É como se estivessem tirando a força, o alicerce que me orientava em tudo, não importando a idade, sempre seremos o filho que precisa do colo de mãe. Aproveito aqui para agradecer todas as palavras de carinho e gestos de pessoas amigas e que eu nem conhecia direito que fizeram com que a dor fosse anestesiada e o coração massageado.

Aproveitando a oportunidade, queria muito que minha mensagem de hoje servisse de alento e reflexão para todos. Num mundo em que vivemos, onde a ganância e a banalidade em tudo são a tônica diária, um pouquinho de amor ao próximo e carinho com a família são indispensáveis para uma evolução espiritual. Aproveitar os ensinamentos de nossos pais e o valores por eles deixados são os maiores bens que podemos carregar para a vida. Aproveitar momentos com pessoas que amamos não tem preço. Graças a Deus eu pude compartilhar e viver esses momentos e sei que ela está feliz onde está e talvez por isso a dor seja maior, mas ao mesmo tempo a lembrança muito mais alegre é gratificante.

Sei que o equilíbrio virá com o tempo, e enquanto esse tempo não chega, a saudade é grande, mas sei que ela estará sempre ao meu lado. Quando me pego triste num canto procuro lembrar dos vários momentos que tivemos e que nos divertíamos.

Sou um apaixonado por música e devo isso a ela que, desde pequeno, me ensinou a apreciar os melhores artistas. Ela me ensinou a sambar, meio desengonçado, mas dou minhas sambadinhas de vez em quando. Sempre me apoiou em minhas escolhas. E era minha companheira de torcida assistindo aos jogos sempre que podia. Não posso deixar de registrar também nossos momentos de diversão como as que ela ria de minhas piadas e brincadeiras, minha principal incentivadora.

Prometo não ficar mais triste! Os anos que vivi ao lado de Dona Marly serviram para me mostrar o quão é importante a família. Núcleo de nossa vida que nunca será substituído, pois a base de tudo vem dela. O tempo vai passar e o amor e a lembrança se tornarão eternos. Hoje percebo que ela me deixou para que eu siga meu caminho, pois os ingredientes para fazer a melhor degustação da vida, ela deixou plantado em meu coração.


Obrigado por tudo, Marly.

Por

Jornalista e comentarista esportivo. Moro em Niterói há 22 anos. Fã de cultura e esportes. Ex-editor em jornais na cidade do Rio de Janeiro. Atualmente me dedico à interatividade cultural. Acredito na importância da divulgação por todos os meios da cultura nesse país.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e