O sumiço do dinheiro

A diminuição gradual de porte de dinheiro dia a pós dia mostra o aumento de transações digitalizadas

Já percebeu que cada dia que passa as pessoas à nossa volta andam com cada vez menos dinheiro físico? Nãoo sei você, mas a sensação que tenho, é que o dinheiro desapareceu. Desde a criação do pix, em 2020, houve uma redução da quantidade de dinheiro físico que as pessoas carregam. O pix já é mais usado no Brasil que cartão de crédito e estudos mostram que deve ultrapassar o uso de boletos.

Bandidos têm inovado na tentativa de roubar as pessoas em uma era de pagamentos digitalizados. Outro dia vi uma reportagem onde o bandido invadiu um consultório dentário e pediu que fosse feito pix para ele. O que não foi realizado somente porque a dentista resistiu e atacou o bandido, que fugiu sem conseguir levar nada. O aumento da criminalidade que rouba os celulares com a finalidade de roubar e transferir dinheiro por meio das contas cadastradas ali tem aumentado. Algumas pessoas tem optado por desinstalar aplicativos de bancos para correr menos risco também tem aumentado.

A comodidade das transferências em segundos, aguça os olhos de criminosos em todo o Brasil. Alguns sequestram as pessoas para roubar com a mesma agilidade com que as transferências são realizadas. Pensando nisto é preciso tomar alguns cuidados. O principal deles, é não deixar seu CPF salvo para acessar sua conta. opte sempre por digitá-lo. Assim, fica mais difícil para alguém acessar sua conta de imediato. Outro cuidado é não deixar salvo a senha do seu e-mail, assim não será possível que, ao acessarem seu celular, entrem em seu e-mail, alterem a sua senha e tenham acesso às suas redes sociais e tentem se passar por você para pedir dinheiro, por exemplo.

Se em menos de dois anos o dinheiro praticamente desapareceu, será que em mais alguns anos não o veremos fisicamente no Brasil? Será que nossos filhos utilizarão métodos ainda mais modernos em suas relações comerciais? Se for assim o nosso futuro, tomara que inventem também uma forma efetiva de evitar assaltos, que a evolução chegue na redução, ou bloqueio da ação de criminosos a longo prazo.

Por

cristiane.lopes@oestadorj.com.br

* Jornalista e especialista em Gestão Cultural. Amante da cultura e das artes.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e