O poder do título certo de um filme

Uma das coisas que ainda hoje dá muita dor de cabeça para uma produção cinematográfica é o título do filme. Tudo porque é no nome que você pode ter um trunfo na hora de atrair o público geral às salas de cinema.

Nem sempre quem vai ao cinema ver um filme já viu trailer, tampouco é cinéfilo que sabe de todas as produções em cartaz. Em boa parte dos casos o público geral vai escolher o filme no dia ou mesmo na hora que vai assistir. Passeando em um shopping sem compromisso e sendo atraído para o cinema por conta de um cartaz atraente. É nessa fração de segundo que o nome pode fazer uma enorme diferença, atraindo não só alguém que em outras circunstâncias não veria determinado filme, como tendo a chance de conquistar um novo público.

Um conhecido exemplo do poder de um nome é da produção ‘Se Beber, Não Case!’, de 2009, e nem se trata do nome original do filme, mas da versão brasileira. Porque no Brasil o filme teve um sucesso significativo, se comparado ao redor do mundo, sendo divulgado com o nome original ‘The Hangover’, que traduzindo literalmente fica “A Ressaca”.

Já nos cinemas brasileiros, ‘Se Beber, Não Case!’ ganhou um público inesperado, só por causa da criativa versão brasileira do nome.

Outro exemplo de filme que ficou popular no Brasíl por conta da versão brasileira do nome, muito melhor que o nome original, ao ponto da produção se tornado cult por aqui, é o filme ‘Apertem os Cintos… o Piloto Sumiu!’, de 1980, que original chama-se ‘Airplane!’, que traduzindo é “Aeroplano”.

Foto: Divulgação

Recentemente, não só no Brasil como no restante do mundo, um filme que tinha tudo para estrear bem e talvez até bater recorde de bilheterias, foi ‘Aves de Rapina’. Uma produção da Warner Bros. e DC, que traz como destaque a segunda mais popular personagens dos quadrinhos DC Comics, a Harley Quinn, a qual só perde para o Batman no quesito mais querida dos fãs de HQs.

A querida personagem dos quadrinhos da DC, que no Brasil também é conhecida por Arlequina, ganhou sua versão em carne e osso no cinema através da talentosa Margot Robbie, fazendo sua estreia nas telonas em 2016 na produção ‘Esquadrão Suicida’, onde se destacou ao ponto de ganhar um filme próprio, que tinha o nome provisório de “Harley Quinn”.

No entanto, no decorrer das filmagens e pós produção, o nome foi modificado para ‘Aves de Rapina’, em inglês “Brids of Prey”, um nome tirado de um quadrinho não tão popular da DC, mas que também faz parte do sombrio universo de Gotham onde tanto Harley Quinn, como o próprio Batman vivem suas aventuras.

E não satisfeitos em tirar um nome já conhecido do título, não somente entre os fãs de quadrinhos como de frequentadores de cinema, já que independente da opinião sobre ‘Esquadrão Suicida’, gostando ou não do filme, todos que viram amaram a Harley Quinn da Margot Robbie; a Warner ainda inclui um subtítulo para fazer graça. Assim ficando originalmente em inglês com o nome de ‘Birds of Prey and the Fantabulous Emancipation of One Harley Quinn’ (tradução literal “Aves de Rapina e a Fabulosa Emancipação da Arlequina”) e que, no Brasil, ficou ‘Aves de Rapina: Arlequina e Sua Emancipação Fantabulosa’.

No entanto, diferente do que ocorreu com as versões brasileiras de ‘Se Beber, Não Case!’ e ‘Apertem os Cintos… o Piloto Sumiu!’ que fez graça com seus títulos ao usarem uma expressão significativa ao roteiro original dos filmes, a ideia de fazer graça da Warner com o nome de sua produção com a DC, foi um tiro no pé. Primeiro porque a maioria dos posters e banners acabavam destacando o nome do quadrinho pouco conhecido ‘Aves de Rapina’, e não o nome da Harley Quinn. E segundo, sem o nome da Harley Quinn no título, muita gente ficou sem saber que era a mesma personagem apaixonante de ‘Esquadrão Suicida’.

O resultado do enorme erro da Warner foi comprovado logo no fim de semana de estreia, com uma das mais baixas bilheterias em relação às produções de filmes DC dos últimos anos.

Se havia qualquer dúvida do quanto o poder de um nome é subestimado, os desastrosos números nas bilheterias mundiais fez a Warner tomar uma decisão nunca vista antes, mudar o nome do filme nos cinemas em meio a semana de estreia, o qual agora chama-se apenas ‘Harley Quinn: Birds of Prey’. Que não evitou a queda normal da segunda semana nas bilheterias, mas a fez ser bem menor que a previsão.

Por

Ex-repórter redatora da editoria de Cultura do webjornal O Estado RJ, atualmente colunista (Curtindo Adoidado).

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e