O beat de Minas para o Brasil

Naty, começou a ganhar destaque nacional se apresentando em casas renomadas em São Paulo, Bahia e Espírito Santo, participando dos eventos mais importantes do seguimento

DJ Naty é umas das revelações na nova geração! A artista faz sucesso na discotecagem do Forró, e é unanimidade quando o quesito é versatilidade!

Dj Naty nasceu na capital mineira e desde pequena esteve ligada a música. Cresceu ouvindo música por todos os lados, seja em casa na mais diversificada coleção de músicas de sua mãe, como rodeada de artistas como seu avô, irmão e primos que sempre estavam a tocar e cantar, mas não imaginava que um dia se tornaria uma artista. Os anos passaram, ela cresceu e atuou na área financeira, em recursos humanos de várias empresas e depois se tornou professora de dança de salão. Seu primeiro contato artístico diretamente com a música iniciava através da dança, e como a Música escolhe quem ela quer, não seria diferente com a artista!

Em 2014 iniciou no ramo da discotecagem de Forró Pé de Serra, quando tocou em seu primeiro projeto e colocou todo mundo para dançar com sua coleção de músicas.

Naty, começou a ganhar destaque nacional se apresentando em casas renomadas em São Paulo, Bahia e Espírito Santo, participando dos eventos mais importantes do seguimento. Além disso, desde 2019 é presença confirmada em festivais nacionais como Nata Forrozeira, Martinha Roots, Festival de Aldeia Velha, Circuito Mini Roots, Brasil Roots entre outros.

DJ profissional, a artista vai muito além em seu trabalho, mais que criar seleções de músicas, manipular obras fonográficas, criar ou recriar versões, é preciso emocionar, alegrar, transmitir a mensagem através do som, saber fazer a transição da canção na hora certa, e mais ainda, estar atento as pessoas!

Por isso, ela mistura canções que marcaram gerações e outras que estão nas paradas de sucesso. Para a artista, música boa independe da época e do estilo!

Outro destaque do seu trabalho é sempre exaltar as mulheres em seus sets, levando clássicos e regravações de diversas intérpretes e sempre tocando músicas que falem da mulher.

Para Naty, ser DJ é estar atenta as pessoas, é poder apresentar possibilidades e versões de uma mesma obra, é ser a maestrina conduzindo as pessoas a uma experiência diferente e mais ainda, tornando o momento único!!

Acompanhe o trabalho da artista pelas redes sociais!

*Por Débora Ildêncio

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e