Nicarágua sai da OEA após críticas à reeleição de Ortega

"A Nicarágua não é colônia de ninguém”, disse o governo em comunicado, que também descreveu a entidade com sede em Washington como intervencionista e controlada pelos Estados Unidos

O governo da Nicarágua disse no domingo (24) que concluiu sua retirada da Organização dos Estados Americanos (OEA), que criticou a reeleição do presidente Daniel Ortega no ano passado como ilegítima.

O governo nicaraguense também disse que fechou o escritório local da OEA e revogou as credenciais de vários de seus representantes da OEA.

“Ratificamos nossa decisão inabalável de deixar a OEA. A Nicarágua não é colônia de ninguém”, disse o governo em comunicado, que também descreveu a entidade com sede em Washington como intervencionista e controlada pelos Estados Unidos.

A Nicarágua iniciou o processo para deixar a OEA, de 35 membros, em novembro, logo após a eleição de Ortega para um quarto mandato consecutivo em meio à preocupação internacional com a justiça do voto, já que Ortega detinha opositores e líderes empresariais e criminalizava a dissidência.

Os Estados Unidos e a União Europeia também chamaram a eleição de ilegítima e pressionaram Ortega a realizar novas eleições e libertar mais de 160 prisioneiros.

No mês passado, o então embaixador da Nicarágua na OEA acusou o governo de Ortega de reprimir a oposição política, abusar dos direitos humanos e reprimir a liberdade de expressão. CNN

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e