Mesmo com cara de Halloween, à espera da melhor sexta-feira do ano!

Liguei a TV e vi as promoções da loja A e em seguida a concorrente lançou uma promoção ainda mais interessante

Black Friday, ou sexta-feira negra, é o dia que se iniciam as compras natalinas aproveitando os descontos e promoções dados pela lojas nos Estados Unidos. Ela é um dia após o Dia de Ação de Graças, comemorado na última quinta-feira do mês de novembro. O Dia de Ação de Graças, foi celebrado ontem nos EUA e hoje começa a loucura das compras.

Em meados dos anos de 1980, víamos através da TV que a aglomeração nas portas das lojas a espera da abertura para, enfim, o povo americano ir às compras. O “Thanksgiving”, ou Ação de Graças, vem da junção das palavras obrigado e agradecimento. É o dia do ano em que os americanos tiram para agradecer a Deus tudo que obtiveram ao longo do ano. O registro datado de 1621 é tido como a primeira vez em que a data foi celebrada.

A sexta-feira negra passou a ser utilizada no mundo inteiro a partir da tecnologia globalizada. No início dos anos 2000, iniciamos uma fase onde o planeta se misturou e se informou como um todo. As distâncias geográficas ficaram no papel, pois com um clique no computador você pode estar em qualquer lugar do planeta e porque não dizer, do universo. Isso na minha opinião foi o maior avanço em se tratando de sociedade. Isso fez com que o ser humano se interligasse independente de onde esteja ou mesmo que língua fala. Um marco na civilização moderna.

Mas voltando à Black Friday, no início do século, nós brasileiros aderimos a essa data em nosso calendário, como já havíamos feito com o 31 de outubro ou Halloween ou Dia das Bruxas. A cultura americana diversificada permite que outras culturas se apropriem de seus códigos e os adaptem em seus países. Não há mal nenhum nisso, mas sinceramente o que eu acho? Desnecessário. Por exemplo, nós brasileiros temos uma cultura e um folclore muito mais diversificado e interessante. E infelizmente o brasileiro pouco dá bola para ele. Mas vamos às compras!

Agregar valores sempre foi um dos quesitos inerentes ao ser humano para se consolidar como um ser preparado para tudo na vida e, diante disso, por que não incluir cultura nisso. Somos propícios à associação. Tendo em vista a data comemorativa do dia de Ação de Graças nos EUA na última quinta feira do mês de novembro e o agradecimento à Deus pelo ano, por aqui não colou, seria porque o povo brasileiro não tem o costume de agradecer por suas conquistas ou mesmo perdas? Pode ser. Olha a cultura gritando diferença aí!

O que podemos tirar como aprendizado disso tudo é: vou esperar uma promoção e vou “cair dentro”! Isso é universal, todos os seres humanos buscam sempre levar vantagem em algo. E o momento é a promoção de bens materiais. Ué, mas um dia após o agradecimento à Deus pelo que obtivemos ao longo do ano, seja muito ou pouco, não nos contradiz, uma vez que no dia seguinte estou lutando para conseguir um bem material por um preço justo? Eis aí a questão. Mas num mundo em que os bens de consumo são oferecidos à população por preços exorbitantes e que sua maioria não tem como pagar, se amontoar e brigar uns com os outros por uma peça por uma valor bem mais baixo do que vale, seria uma heresia ou apenas uma oportunidade Divina?

Black Friday: a prévia da data mais importante do ano

Por

alexandre.mauro@oestadorj.com.br

Jornalista e comentarista esportivo. Moro em Niterói há 22 anos. Fã de cultura e esportes. Ex-editor em jornais na cidade do Rio de Janeiro. Atualmente me dedico à interatividade cultural. Acredito na importância da divulgação por todos os meios da cultura nesse país.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e