Liesa vê ‘90% de chances’ de carnaval no Rio em fevereiro

A cada lote disponibilizado para venda, os ingressos esgotam no mesmo dia. A boa procura aumenta a confiança dos organizadores da festa

Os lampejos de solda vistos das grades dos barracões das escolas de samba entusiasmam os carnavalescos do Rio de Janeiro. Neste ano, no entanto, a construção dos carros alegóricos e a confecção das fantasias está com até um mês de atraso. A fase do ferro, em que são montadas as estruturas que servem de base para os carros alegóricos, costuma ser feita em setembro. Mas a demora para liberar a desmontagem do carnaval de 2019 e as incertezas da pandemia embolaram o cronograma – que, como plano A, prevê o carnaval na data original, o fim de fevereiro.

“Para cumprir o projeto que a gente apresentou a gente precisa trabalhar todo dia até dez horas da noite, onze horas e não tem jeito, trabalhando sábado, domingo, feriado, sem folga. É um ano excepcional, um ano fora da curva, mas é o que a gente precisa fazer para mostrar o grande carnaval que a Vila Isabel tem desenhado”, afirma o diretor de barracão Moisés Carvalho.

As escolas ainda não receberam a verba da prefeitura para custear os investimentos na estrutura do carnaval. A administração do prefeito Eduardo Paes (PSD) se limitou a dizer que “maiores detalhes sobre esse assunto serão divulgados em momento oportuno”. Eles se recusaram a dar entrevistas porque avaliaram que isso poderia soar como um sinal de que o tradicional desfile das escolas de samba vai ser mantido em fevereiro, na data original. Mas até agora a confirmação oficial não veio. Apesar disso, para a Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa), há grandes chances disso.

“Olha, eu diria que 90% de chances, talvez até mais, de ele acontecer em fevereiro. Digo isso com base nas conversas que a gente teve, várias conversas com o poder público, tanto na esfera federal, quanto na esfera estadual e municipal, é uma crença geral de que a gente vai ter um número grande da população vacinada em fevereiro, então já poderia acontecer nos moldes normais. A não ser que a gente tenha uma surpresa gigantesca de uma nova pandemia, o que seria algo desastroso pra humanidade, então a gente acredita muito no carnaval em fevereiro de 2022”, disse o diretor de marketing da Liesa, Gabriel David.

Ingressos esgotando

A cada lote disponibilizado para venda, os ingressos esgotam no mesmo dia. O valor do bilhete varia de R$ 85 pela meia entrada para arquibancada a R$ 96 mil pagos por um camarote de 30 lugares. A boa procura aumenta a confiança dos organizadores da festa.

Por outro lado, a venda de ingressos é a principal renda das escolas, que contam ainda com valores repassados do governo do estado por meio de programas de cultura e assistência social e autorização para captar patrocínio com base em renúncia fiscal. Entre valores que são pagos diretamente às agremiações e cota de ICMS autorizada para que os patrocinadores repassem diretamente às escolas, o Carnaval de 2022 deve superar R$ 20 milhões. Isso é o que estimou a secretária estadual de Cultura e Economia Criativa, Danielle Barros. CNN

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e