LGPD traz maior proteção para dados pessoais na era da informação

Lei Geral de Proteção de Dados prenuncia maior cuidado com os dados na era da informação ?

Na sociedade da informação, onde dados valem mais que petróleo, há um grande assédio pelos dados pessoais disponibilizados em qualquer parte, onde possam ser capturados e usados de alguma forma para identificar aspectos importantes das pessoas; o que gostam, o que não gostam e até mesmo a personalidade. Os dados se tornam uma moeda muito valiosa, em especial no meio digital, onde as pessoas demonstram muito de seus interesses.

Visando proteger, eu diria devolver, um certo controle de dados às pessoas, entrou em vigor no dia 18 de setembro, a Lei Geral de Proteção de Dados – LGPD. Se você já recebeu uma ligação e se perguntou onde encontraram seu telefone, vai gostar dessa bastante dessa nova lei. A LGPD traz regras e situações específicas em que o tratamento de dados pessoais possam ocorrer em conformidade com a lei. Trata-se de medidas técnicas e administrativas, para proteger os dados pessoais que estão em posse das empresas, sejam essas on ou offline.

Depois de tanto tempo recebendo e-mails e telefonemas, onde pensamos que fomos misteriosamente encontrados por pessoas que sabem muito de nós, mas nós sequer sabemos onde elas encontraram nosso telefone, agora muda-se a perspectiva sobre a posse de nossos dados. Até o momento há uma crença de que os dados pertencem às empresas. Mas a partir de agora haverá uma mudança de cultura, onde passaremos a ter em mente o quanto nossos dados são valiosos, e tenderemos a nos preocupar mais com a importância da segurança de nossos dados.

Filmes recentes mostram o quanto as pessoas estão expostas devido ao livre acesso dos dados e como isso pode ser utilizado e até monetizado por terceiros. Nesse aspecto essa lei é de grande valor para que a sociedade se torne mais transparente no que tange a nossos dados, e como eles serão utilizados pelas e protegidos pelas empresas e pelo poder público. Não que os dados não possam mais ser utilizados, e armazenados, mas que a partir de agora, precisarão ser utilizados e guardados com grande responsabilidade.

Por

cristiane.lopes@oestadorj.com.br

* Jornalista e especialista em Gestão Cultural. Amante da cultura e das artes.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e