Kherson está em “crescente crise humanitária”, diz defensora do povo

Lyudmila Denisova, da Defensoria do Povo da Ucrânia, lançou um alerta nesta segunda-feira para a “crescente crise humanitária” na região de Kherson, onde estão cerca de 500 mil pessoas e que pode ficar sem medicamentos em cerca de duas semanas.

“Os residentes da região não têm possibilidade de irem para o território controlado pela Ucrânia, e a capacidade de se moverem pela região está, praticamente, restrita. Os ocupantes não permitem o acesso de voluntários, com ajuda humanitária e saqueiam os carregamentos humanitários”, denunciou Denisova, por meio do Telegram. Efe

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e