Justiça holandesa determina que Ghosn devolva 5 milhões de euros à Nissan

O ex-presidente da Nissan-Mitsubishi, o franco-brasileiro Carlos Ghosn, considerado foragido no Japão, terá que devolver quase 5 milhões de euros em salários à empresa porque não tinha um contrato quando os recebeu, segundo decidiu nesta quinta-feira a Justiça holandesa, que se recusou a aceitar seu pedido de indenização pela demissão.

O próprio Ghosn apresentou uma queixa na Holanda, onde a empresa está formalmente sediada, e alegou que tinha sido demitido injustamente como presidente em 2019 e deveria receber 15 milhões de euros em salários perdidos e indenizações. EFE

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e