Inseminação artificial: o que é?

O processo aparece solução para casais que sofrem com a infertilidade após tentativas por um ano sem sucesso

Inseminação Artificial (IA) é um tratamento simples de fertilização em que os espermatozoides são inseridos dentro do útero. Embora realizado de maneira diferente, assim como a FIV (Fertilização in Vitro), consiste em um procedimento de reprodução assistida.

Também conhecido como Inseminação intrauterina, o método é efetuado durante a ovulação, ou seja, no período fértil da mulher. A inseminação artificial geralmente é feita em clínicas de reprodução humana.

O processo aparece solução para casais que sofrem com a infertilidade após tentativas por um ano sem sucesso. Sua eficácia varia entre 15% a 20%, dependendo de outros fatores que podem influenciar essa porcentagem.

Principais Indicações para Inseminação Artificial

? Mulheres com muco cervical bem grosso ou escasso;

? Endometriose de nível leve;

? Ciclo menstrual irregular (com tendência a SOP – Síndrome de Ovário Policístico);

? Homens com leve baixa de quantidade e qualidade de espermatozoides;

? Homens que congelam espermatozoides antes de uma vasectomia.

Etapas do método

É importante encontrar um ginecologista de confiança, caso já tenha, converse sobre suas tentativas e condições. Ainda assim, o primeiro passo é estudar as chances de sucesso para conquistar a gestação tão aguardada.

Consulta e exames

O tratamento é indicado de acordo com: causa da infertilidade, idade, antecedentes da família, reserva ovariana, entre outras condições.

Os exames são cruciais para entender o porquê das tentativas frustradas. Além de servir para guiar até o melhor procedimento para cada caso.

A bateria de exames é solicitada para o casal; tanto o homem como a mulher devem participar da investigação. Com todos os resultados reunidos, o especialista analisará a indicação para Inseminação Artificial.

Passo a Passo da Inseminação Intrauterina

1 – Estimular a produção ovariana

Com a utilização de fármacos, acontece o estímulo à produção ovariana. Esta etapa inicial dura cerca de 10 dias após a introdução dos medicamentos. O processo pode ser efetuado no momento desejado pelo casal. Contudo, para aumentar a probabilidade do positivo, deve-se
considerar o período fértil da mulher, quando há efetividade da ovulação.

Simultaneamente, o sêmen do parceiro deve ser coletado para a fertilização. O material recolhido do homem é combinado para selecionar os melhores espermatozoides.

Por que realizar no período fértil feminino?

Durante a fase inicial da menstruação, acontece a liberação de FSH e LH (Hormônio Folículo Estimulante e Hormônio Luteinizante, respectivamente). Ambos, quando reunidos, impulsionam o amadurecimento dos folículos ovarianos. O que indica um aumento na produção de estrógeno e progesterona. Neste espaço de tempo, metade do ciclo, há rompimento do folículo e liberação do óvulo. Os hormônios preparam o útero para a possível gestação.

2 – Indução da ovulação

A técnica consiste na aplicação de medicamentos hormonais que contribuem para gerar óvulos com maior oportunidade de fecundação. Tais remédios atuam no ovário preparando a ovulação.

O método é realizado 36 horas (aproximadamente) após constatar o tamanho adequado dos folículos para a inseminação.

3 – Preparação do sêmen

Conforme análise laboratorial, os espermatozoides aptos são separados para amplificação do seu potencial de fecundação. Assim, as chances de reprodução no útero materno são maiores.

4 – A inseminação

Através de um cateter fino, os espermatozoides são inseridos na área interna da cavidade uterina. Os microgametas buscam o óvulo, e o tratamento se dá por concluído.

O procedimento é simples e indolor. Em casos raros, há apenas um leve desconforto. Não é preciso o uso da anestesia.

Após a etapa conclusiva da inseminação, a mulher permanece deitada em repouso. Sua liberação ocorre após 30 minutos aproximadamente.

Acompanhamento com ultrassonografia

A ultrassonografia serve para acompanhar o desenvolvimento de todo o processo. Ajuda a observar se tudo ocorre como o planejado.

5 – Teste de gravidez

O teste de gravidez será realizado de 10 a 12 dias; então, a paciente descobre o resultado do tratamento.

Quando o positivo é verificado, a mulher deve fazer uma ultrassonografia transvaginal para visualizar o saco gestacional. Sendo assim, um novo exame de sangue pode ser feito para a comprovação final.

Quais são as chances de uma gravidez múltipla?

Existe a chance da concepção de mais de um embrião. Isso pode ocorrer de forma natural, e acontece entre 10 a 20% dos casos de inseminação artificial. Não significa que o casal pode escolher entre ter gêmeos ou não. O fato sobrevém espontaneamente.

Qual é a diferença entre Inseminação Artificial e Fertilização In Vitro?

As técnicas de reprodução assistida se diferenciam apenas pela maneira em que cada uma é constituída:

? O método da Inseminação artificial é mais simplificado: espermatozoides são introduzidos diretamente no útero, onde ocorre a fecundação do óvulo.

? Já na FIV, a situação é mais complexa: a fecundação ocorre externamente, realizada em laboratório. O embrião, já revelado, é transferido para o útero a fim de se desenvolver.

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e