Infectologista diz que estamos caminhando talvez para o pior momento da pandemia’

Enquanto as vacinas não chegam para todos, os cuidados repetidos desde março do ano passado devem continuar sendo tomados, explica

Medidas restritivas como as que serão anunciadas nesta sexta-feira (22) em São Paulo são necessárias para evitar que o número de casos e mortes por Covid-19 continuem aumentando pelo país, avalia o  infectologista e diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) Renato Kfouri.

“É absolutamente necessário, não há outra opção a ser feita. Estamos caminhando talvez para o pior momento da pandemia. O aumento de casos vem chegando próximo ao pico de junho, julho. A letalidade felizmente não vem acompanhando, em razão da melhora da nossa assistência e de hoje os mais jovens estarem sendo acometidos. Mas estamos caminhando para mais de mil mortos por dia, voltamos a essas taxas. Com esse evoluir da pandemia, são necessárias medidas mais agressivas”, avalia.

Enquanto as vacinas não chegam para todos, os cuidados repetidos desde março do ano passado devem continuar sendo tomados, explica.

“É preciso que a população não relaxe, essa sensação de que as vacinas estão chegando não pode ser motivo de descuido. A notícia boa não nos protege. A vacina que dispomos é a máscara, o distanciamento e a não aglomeração. Precisamos muito continuar respeitando isso até vacinar boa parte da população”, conta.

CNN

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e