Incêndio no Hospital Badim deixa 11 mortos no Rio

Em nota, a direção do hospital, que é particular, informou que o fogo pode ter sido provocado por um curto-circuito no gerador de um dos prédios

Um incêndio atingiu o Hospital Badim, no Maracanã, zona norte do Rio de Janeiro, na noite de quinta-feira (12), deixando pelo menos onze mortos, conforme noticiado pela imprensa brasileira.

Os pacientes foram retirados às pressas da unidade – e alguns chegaram a receber atendimento em leitos improvisados na calçada de ruas próximas, antes de serem transferidos de ambulância para outros hospitais.

Os próprios funcionários do hospital ajudaram a carregar os equipamentos médicos para fora do prédio.

Em nota, a direção do hospital, que é particular, informou que o fogo pode ter sido provocado por um curto-circuito no gerador de um dos prédios.

“Ao que tudo indica, um curto-circuito no gerador do prédio 1 do hospital provocou um incêndio, espalhando fumaça para todos os andares do prédio antigo”, informou o Hospital Badim em sua página no Facebook

O fogo teria começado por volta das 18h30, e foi controlado pelos bombeiros cerca de 2 horas depois.

Ao todo, 103 pessoas estavam internadas na unidade no momento do incêndio. E, de acordo com a direção do hospital, “a brigada de incêndio iniciou a evacuação do prédio, mesmo antes da chegada do Corpo de Bombeiros”.

De acordo com a imprensa brasileira, pelo menos onze pessoas morreram em decorrência do incêndio.

Ainda não há informações oficiais sobre a identidade das vítimas.

De acordo com a direção do Hospital Badim, os pacientes estão sendo transferidos para o Hospital Israelita Albert Sabin, também no Maracanã, e para outras unidades da região.

O hospital disponibilizou o número de whatsapp 97101-3961 e o email suportefamiliares@badim.com.br para que os parentes dos pacientes que estavam internados na unidade entrem em contato para receber informações sobre sua localização.

Por

Webjornal O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.