Hora do check-up

Podemos nascer com objetivos em mente? E na adolescência, será possível saber o que queremos da vida? Ainda hoje essas dúvidas ressurgem numa espécie de "ajustes de contas". Será que serei punido ou absolvido?

Vivemos num mundo de incertezas, e não é de hoje. Desde que nascemos, nos deparamos com a dúvida. O que seremos? O que faremos? E se faremos? Eis alguns questionamentos que viveram povoando nossas mentes a partir do momento que concatenamos nossos pensamentos e nos demos conta de que somos seres pensantes. As vezes com pensamentos defecáveis, mas ainda assim, pensamentos. E é aí que começamos nosso árduo “Caminho de Santiago”, até entendermos que em dado momento, as respostas nos serão cobradas. E quando isso ocorre, nem sempre estamos prontos para recebê-las.

Muita gente nasce, e já em seus primeiro anos de vida, têm alguns de seus valores definidos e também sua missão aqui no planeta terra. Pode-se dizer que boa parte de seu “HD” veio com uma memória RAM que nos ajuda a entender o mecanismo da vida. Que tem o privilégio de tê-la em funcionamento já no início de sua fase adolescente, pode enfim, ter fortes indícios de que terá um caminho mais suave em sua trajetória. Muitas pessoas na fase pré-adolescente, já sabe o que deseja ser “quando crescer”. E isso já é um avanço em sua performance, uma vez que, muitos até os 40 anos ainda não sabem o que querem ser, já dizia Pedro Bial, afinal de contas, o homem perfeito só existe na figura icônica do “Homem Vitruviano”, de Da Vinci.

Ao criar o desenho do “Homem Vitruviano”, Da Vinci acreditava na perfeição humana, mas não sabia que séculos depois precisaríamos de um recall.

Mas isso em nada tira a qualidade e o talento dos indecisos, pois no mundo em que vivemos, ainda somos apanhados pelas indecisões. Conheço várias pessoas muito interessantes que ainda não sabem o que querem ou querem tudo que conhece. Mas a verdade é que nós, quando jovens, sonhamos com tudo melhor, como se fosse o verdadeiro e único “Fantástico mundo de Bob”. E aos poucos vamos nos deparando com gotas de realidades que ao caírem no solo repleto de sonhos, mata pouco a pouco a expectativa de um sonho realizado.

Mas como somos feitos de poeiras de estrelas e elas sempre povoam nossos pensamentos nos fazendo acreditar em sonhos, vamos vivendo essa vida mesmo que com sustos, mas vivendo intensamente até que as estrelas resolvam nos chamar de volta. A vida é um sopro, mas o que não é? Precisamos entender melhor o significado das coisas para enfim, sabermos aproveitar melhor essa constelação terrestre. Viver e deixar a vida nos levar, parece refrão de Zeca Pagodinho, mas é na verdade a senha para a felicidade e a realização. E fica ainda mais fácil quando nosso HD começa a sintetizar o conhecimento e junto com a memória RAM, encontra os caminhos e os encurta até o nosso objetivo.

Às vezes encontramos alguns vírus no meio do caminho, mas quando estamos certos do que somos e queremos, criamos antivírus capazes de neutralizar todo e qualquer tipo de obstáculos e seguimos em frente. E quando isso acontece, é sinal de que nosso sangue está próximo de atingir o exército de hemoglobinas capaz de nos proteger e guiar até o sucesso. Vamos lutar sempre para que nossos ideias e nossa saúde mental estejam em comunhão, pois assim, seremos vencedores em quaisquer etapas de nossas vidas. Eu vou ao médico semana que vem, e você?

Por

alexandre.mauro@oestadorj.com.br

Jornalista e comentarista esportivo. Moro em Niterói há 22 anos. Fã de cultura e esportes. Ex-editor em jornais na cidade do Rio de Janeiro. Atualmente me dedico à interatividade cultural. Acredito na importância da divulgação por todos os meios da cultura nesse país.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e