Homem que matou petista em Foz tem foto com Eduardo Bolsonaro e defende presidente

Arruda comemorava seu aniversário quando a festa foi invadida por Guaranho

O agente penitenciário federal Jorge José da Rocha Guaranho, que atirou e matou o guarda municipal Marcelo Arruda em Foz do Iguaçu (PR) na madrugada deste domingo (10), tem vários posts nas redes sociais em apoio ao presidente Jair Bolsonaro (PL) e a favor de armas e policiais.

Guaranho também tem uma foto de 2018 ao lado do deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP), filho do presidente, com a legenda “obrigado pelo apoio”.

Desde 2018 é possível ver posts de apoio a Bolsonaro, que disputava, então, as eleições para presidente. Em 19 de outubro de 2018, Guaranho postou “eu sou o caixa 2 de Bolsonaro”.

Em 25 abril de 2020, Guaranho postou uma foto de Bolsonaro com os dizeres:

“eu era 100% Bolsonaro, mas depois de hoje decidi ser 200%”.

Em 16 de agosto de 2020, Guaranho postou uma foto sua com os dizeres embaixo:

“é melhor Jair [Bolsonaro] se acostumando”, em referência a frase que ficou famoso entre apoiadores do presidente.

Em dezembro de 2020, Guaranho postou comentário sobre uma notícia compartilhada pelo deputado Carlos Jordy (PL-RJ). No post, Jordy compartilha um vídeo e a legenda:

“Cabo Cardoso, morto covardemente c/ tiro à curta distância pelo lado, por criminoso q assaltava uma loja em Mesquita. Morreu fazendo o q sempre pregou: proteger a sociedade. Não haverá comoção da imprensa e movimentos de esquerda. Afinal, ele não era negro nem bandido, apenas PM.”

O post é compartilhado por Guaranho, que questiona:

“quando teremos leis realmente eficientes para reduzirmos esses índices de perdas de irmãos policiais? Até quando? Deus abençoe sua família, guerreiro”.

Em outro post de dezembro de 2020, ele faz o gesto de arma com as mãos.

Arruda comemorava seu aniversário quando a festa foi invadida por Guaranho. Arruda é membro da diretiva do PT em Foz do Iguaçu e tinha a decoração da festa de comemoração dos seus 50 anos em homenagem a Lula e o PT.

Segundo relatos de quem estava presente, Guaranho foi até o local gritando o nome do presidente Jair Bolsonaro. Foi pedido que ele deixasse o local e ele avisou que voltaria. Arruda então foi até seu carro e pegou sua arma. Cerca de 20 minutos depois, Guaranho voltou e atirou em Arruda, que conseguiu revidar e atirar nele também. O aniversariante morreu enquanto Guaranho foi encaminhado ao hospital em estado grave.

Segundo a Polícia Civil, o quadro dele na tarde deste domingo é estável.

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e