Governo do Rio começará a distribuir cestas básicas nesta semana

Para evitar a aglomeração dos beneficiários nos postos de distribuição, haverá um contato via SMS em que o governo vai informar um código, data, horário e local para retirar a cesta básica

O governo do estado do Rio de Janeiro planeja distribuir cestas básicas a famílias que tenham renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa. O programa, chamado Mutirão Solidário, usará dados do Cadastro Único para programas sociais do Governo Federal e atenderá a locais com menor Índice de Desenvolvimento Humano nas cidades da Baixada Fluminense, São Gonçalo, Itaboraí e Rio de Janeiro.

O vice-governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, explicou em uma entrevista coletiva hoje (7) que a logística do programa será testada nesta semana em quatro cidades: Queimados, Paracambi, Itaboraí e Guapimirim.

“Nesse primeiro momento, até sexta-feira, será um grande teste de logística, até porque é uma logística de guerra. Isso nunca foi feito no Rio de Janeiro. O Rio nunca passou por uma situação dessas”, afirmou. “A partir de segunda-feira a gente já estará full time trabalhando e ampliando”.

Para evitar a aglomeração dos beneficiários nos postos de distribuição, haverá um contato via SMS em que o governo vai informar um código, data, horário e local para retirar a cesta básica. Quem se enquadrar nas faixas de renda beneficiadas e não receber o contato poderá obter o código e as demais informações por meio do site. Em casos excepcionais, o contato também poderá ser via centro de referência de assistência social (Cras) ou via assistentes sociais.

Os pontos de distribuição em cada bairro incluirão escolas, vilas olímpicas e outros equipamentos públicos, e a entrega dará prioridade a pessoas com ao menos 60 anos, pessoas com deficiência e famílias numerosas. Cada ponto de distribuição vai entregar no máximo 150 cestas básicas por dia.

O governo pretende entregar 1 milhão de cestas básicas, e o número de beneficiários pode chegar a 2,5 milhões, distribuídos em 939 mil famílias. Entre essas famílias, há 648 mil em situação de extrema pobreza, o que se configura quando a renda é menor do que R$ 89 por pessoa.

As cestas básicas foram recolhidas também com doações de empresas privadas, que poderão continuar a ajudar por meio do fundo solidário administrado pelo Instituto de Desenvolvimento e Gestão (IDG). Pessoas físicas também podem fazer doações.

A cesta que será distribuída vai conter 400 gramas (g) de achocolatado, 1quilo (kg) de açúcar, 5kg de arroz, 2kg de feijão, 3kg de fubá, 1kg de farinha de mandioca, 500g de café, 800g de leite em pó, 1,5kg de macarrão, 1,02 kg de molho de tomate, 900 mililitros (ml) de óleo, 1kg de sal, 500g de carne, 2 litros de água sanitária, 500ml de desinfetante, 1litro de detergente e 600g de sabonete em barra.

Por

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e