Frio = cama + filme + pipoca

Não tem nada melhor no frio que assistir a um filme debaixo do edredom e quem tem uma companhia fica ainda melhor. O tempo passa e você nem sente. Uma bebida quente ajuda muito também.

E não é que o Brasil está vivendo dias de frio nunca antes visto? Essa onda de inverno fora de época acabou pegando a onda do ano por aqui. Foi carnaval fora de época e agora esse frio que em muitas cidades do sul e sudeste, faz lembrar algumas cidades europeias em seus invernos. É esperado neve, geadas e um frio que pode ultrapassar os graus positivos. Isso mesmo, teremos temperaturas abaixo de zero em alguns lugares. Será que estamos entrando numa era de globalização da neve? Seria ótimo, pois só falta isso por aqui.

Mas o que quero falar na verdade é como podemos aproveitar esse momento, que chega junto a uma sociedade ainda em passos lentos à normalidade. Ainda saindo pouco e se cuidando mais. É verdade que boa parte da população já jogou a máscara fora e todos os dias está incansavelmente nas ruas buscando diversão, mesmo com o bolso vazio, afinal, nem tudo que nos faz bem precisamos pagar. Mas existe uma pequena parte que ainda tem certo receio de se expor em demasia e fica em casa curtindo internet, séries e games.

Com o frio que se instalou no Brasil, muitas pessoas estão dando um tempo nas ruas, afinal, ninguém é de ferro ou parente do Tocha Humana. Uma ótima dica é aproveitar o fim de semana para ficar em casa, pois com esse frio, nada melhor que uma cama bem quentinha regada a um bom filme ou série para maratonar, não se esquecendo do amigo das horas difíceis, o chocolate quente ou cappuccino. Eu particularmente adoro assistir a um filme bebendo um cappuccino de baunilha com chantilly ou uns cubinhos de marshmallow. Hummm, acabou de me dar uma vontade de beber um cappuccino e assistir a um filme…

Sem praia, sem calor, mas com a melhor companhia

Às vezes essas simples coisas nos fazem um bem danado. E em muitos casos, só nos damos conta quando uma ação interrompe nosso cotidiano, que já transbordou de intensidade. Precisamos de um ponto onde nos recarregar de paz, amor, energias positivas e empatia seja o principal antidoto “antimonotonia” da vida moderna. Isso mesmo, um momento só nosso, onde deixamos nossa imaginação fluir para o lado que quiser e viajar nas fantasias que quisermos. Podemos ser Luke Skywalker ou Darth Vader, vai depender do seu momento. Ou quem sabe A bela ou a fera, isso só vamos saber após os primeiros 23 minutos da fita.

A verdade é que com frio ou sem frio, precisamos nos dar mais tempo para curtir as coisas boas que o entretenimento nos oferece. Sim, existe muita coisa boa, interessante e de conteúdo por trás de um streaming. Aos amantes de fitas VHS ou DVDs, vai uma dica: Reveja aqueles clássicos, aqueles filmes que você não vê faz muito tempo, pois tenho absoluta certeza que sua visão hoje será bem diferente daquela de quando os viu pela primeira vez. Isso é fantástico! A cada releitura que fazemos de uma obra, ela nos mostra algo novo. Isso é arte.

Poderia aqui selecionar uma série de títulos que já vi e que gostei, mas acho que a melhor forma de se divertir é descobrindo o caminho. Já vi muitos filmes, até hoje a lista deve ultrapassar 3.500 filmes. Deve passar desse número. Tenho catalogado, alguns dos que gostei e fiz observações, mas como minha paixão pela sétima arte vem praticamente de berço, não tenho como contabilizar os filmes que assisti ainda “moleque”. Mas posso garantir que pelo menos um por dia eu assistia em frente a TV. Quantas viagens eu fiz.

Te convido a viajar e curtir esse fim de semana muitas aventuras. Viaje por céu, mar ou mesmo por terra, o importante é não perder ação. Se você gosta de mais tranquilidade, que tal um romance? Aí sugiro que seja visto a dois, é mais interessante. Agora se o seu forte são emoções de arrepiar, aconselho um terror para sacudir o sofá e não esqueça de fechar todas as portas. Seja qual for o seu gênero para o cinema, o que não pode faltar é a pipoca e a companhia. Ah, não se esqueça de se agasalhar, pois o frio vai continuar.

Por

alexandre.mauro@oestadorj.com.br

Jornalista e comentarista esportivo. Moro em Niterói há 22 anos. Fã de cultura e esportes. Ex-editor em jornais na cidade do Rio de Janeiro. Atualmente me dedico à interatividade cultural. Acredito na importância da divulgação por todos os meios da cultura nesse país.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e