Fiquem com um pé atrás nas eleições deste ano, em Mesquita

O eleitor tem que renovar e dá chance aos novos candidatos que estão aí para vereadores e prefeito, excluindo, é claro, os vereadores que querem ser prefeito

‘Não venda seu voto! Além perder a dignidade entre seus amigos, será cúmplice de um candidato corrupto, não irá melhorar o seu futuro, da sua família e nem de seus filhos. Só irá enriquecer este tal candidato durante quatro anos, sem nenhuma melhoria para a comunidade em que você eleitor vive’.

Em Mesquita, este ano, existem cerca de 12 pré-candidatos a prefeito e uns 300 a vereadores, incluindo os atuais. O atual prefeito que muitos moradores nunca viram e não o conhecem pessoalmente pretende se reeleger, além de mais 3 atuais vereadores que também querem ser prefeitos na cidade. Será que eles merecem?

A função de um vereador é criar leis, fazer indicação de algo que possa corrigir ou melhorar um local que tenha algum tipo de problema e fiscalizar os atos do executivo, que é o prefeito.

Aquele vereador em que você votou nas últimas eleições exerceu alguma função de destaque, você viu melhorias no bairro e na cidade onde mora? Se não, então por que o reeleger?

Quem são os 3 candidatos vereadores a prefeito?

É bom lembrar que, desde o prefeito anterior, conhecido como Gelsinho Guerreiro (GG), todos os vereadores eram ligados a ele, e o mentiroso atual Jorge Miranda não elegeu ninguém, de tão (im)popular que ele é. E hoje vive num rio de lama e se achando o “bam bam” porque andou maquiando o antigo hospital São José, transformando-o em clínica de família e inaugurando outros. Mas o posto Mario Bento, do bairro Jacutinga, ainda continua fechado. Ele ainda quer transformar uma escola em clínica de família, localizada no bairro Banco de Areia. Todos este vereadores que estão aí, que eram do GG, não escutam a reclamação da população local revoltada, pois estão apenas em troca de favores financeiros.

O atual prefeito da cidade é o resultado da sua gestão já fala por si só. Educação falida. Mesquita tem um dos piores índices do Estado. Saúde em colapso. Não temos um hospital de emergência. Não existe um modelo assistencial definido. A população fica perdida. O sistema de clínicas da família é confuso. A abrangência é ineficiente. No quesito segurança, não temos nada que comemorar. A cidade só não está mergulhada num banho de sangue graças ao batalhão de polícia militar que temos, que inevitavelmente acaba gerando uma sensação positiva. Mas, em matéria de políticas públicas de prevenção, nota é zero. Assistência social precária, fomento e incentivo a economia são inexistentes. Em resumo, não reúne condições para ser reconduzido ao cargo, desabafa a Dra. Thaianna Barbosa, pré-candidata a prefeita de Mesquita.

Veja quem são esses vereadores que querem ser prefeito e não merecem ser e nada fizeram até o momento eleito:

Vandinho da Gráfica – Me diz qual foi o projeto de lei criado por ele, ou indicações para melhorar a cidade ou seu bairro.

Cris Gêmeas – Era amicíssima do GG e agarrada com o atual prefeito. Mal falada em alguns bairros, inclusive na Coreia. Prometeu e não cumpriu compromisso com um líder comunitário da região e sumiu, até hoje.

Eu ajudei muito ela quando vinha candidata a vereadora, mas nunca cumpriu sua palavra comigo. Agora quer ser prefeita. Estou fora, comenta uma outra líder do mesmo bairro, que presta serviços sociais por conta própria na região, a enfermeira Mara Nunes*.

Viveu debaixo da saia do atual prefeito durante todos estes anos. Surpreendentemente, no ano de eleições municipais descobriu que é oposição. Precisou de 3 anos e meio pra identificar as falhas da administração atual? Se ela demorou todo esse tempo para perceber que algo não ia bem, isso por si só já seria suficiente para provar que a sua confiabilidade como candidata a chefe do executivo está comprometida. Certamente uma gestão desastrosa, declara Dra. Thaianna Barbosa , pré-candidata a prefeita.

Leonardo Andrade – O pior de todos. Foi 2 vezes vereador, nada fez por Mesquita, (Diz aí Mauro Vasconcelos, do Fala Baixada). Seu padrinho político, Leo Rodrigues, do mesmo partido, está supostamente envolvido com corrupção (leia o artigo no final deste texto), que saberá com quem você, eleitor, corre o risco de votar. Ele não é bem-visto em Mesquita, principalmente no bairro Jacutinga.

“Fiz campanha para este pilantra do Leonardo Andrade quando veio a vereador. Andei com ele no bairro Banco de Areia, Santo Elias e Jacutinga. Não pedi nada a ele em troca, somente um cargo pra minha filha. Ganhou e faz de conta que não me conhece. Ele é um pilantra safado. Falo na cara dele se eu encontrar com ele. Quero ver se ele é homem pra dizer o contrário”, diz João Augusto*, morador a 63 anos bairro Banco de Areia.

“Ele andava aqui em Jacutinga prometendo um monte de coisa, aqui boa parte da população não gosta dele. Nós, moradores da parte alta, temos que carregar água pra dentro de nossa casa em baldes, existe canalização mas a água não sobe, ele prometeu e até hoje não fez nada”, comenta a doméstica Ana Claudia*, moradora há 52 anos no bairro.

Um fantoche. Não responde por si. Não tem personalidade política. Representa na verdade, interesses de grupos políticos que querem a cadeira e o comando da prefeitura da cidade. Recentemente toda a imprensa fluminense expôs em detalhes os escândalos de corrupção envolvendo a FAETEC e a Secretaria de Ciência e Tecnologia, sob o comando do seu padrinho político, Leonardo Rodrigues que é de fato o candidato a prefeito, apenas escondido na figura deste vereador, que aliás, em oito anos de mandato, não entregou absolutamente nada à população mesquitente. Um candidato sem qualquer preparo e capacidade para governar nossa cidade, comenta a pré-candidata a prefeita por Mesquita, Dra. Thaianna Barbosa.

E os outros vereadores que querem se reeleger? Pergunte a você mesmo o que eles fizeram para seu bairro.

O eleitor tem que renovar e dá chance aos novos candidatos que estão aí para vereadores e prefeito, excluindo, é claro, os vereadores que querem ser prefeito.

Existem candidatos capacitados para governar o município com ideias futuristas. Como exemplo, o Professor Roque, que tem projetos para Mesquita, tanto na educação, saúde (hospital municipal), como no transporte, cultura e emprego (veja o vídeo no final deste artigo). Você, eleitor, pode escolher outros, desde que não seja este que está aí, Jorge Miranda (leia os artigos e veja os vídeos no final deste texto).

Portanto, não venda seu voto por 50 ou 100 reais no dia das eleições. Quando você vende seu voto, está elegendo um candidato que já é corrupto ao comprar o seu voto. Logo, você também é cúmplice dele, e depois não reclame de seu futuro, de sua família e de seus filhos. Mas a decisão é sua.

Uma outra coisa, não acredite em pesquisa fora da data de campanha politica é tudo mentira e é proibido. A campanha só é verdadeira quando registrada no TRE.

Fica a dica!

‘O político é corrupto porque quem o elegeu foi sua imagem e semelhança, seu eleitor’.

*Nome fictício, a pedido dos entrevistados.

Saiba mais:

*A Operação Favorito tem como alvo o empresário Mário Peixoto

*Prefeito de Mesquita pratica nepotismo e cria supersecretarias

*Prefeito de Mesquita, Jorge Miranda, é afastado pela Câmara de Vereadores

Jorge Miranda – o prefeito mentiroso

Leonardo Andrade – Vereador omisso

Projeto futurista de um pré-candidato a prefeito

Por

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e