EUA pressionam Irã e dizem que retomada de acordo nuclear é urgente

Sob o acordo, o Irã restringiu seu programa nuclear para dificultar a obtenção de material físsil para fazer uma bomba, uma ambição que Teerã nega

A Casa Branca pressionou publicamente o Irã nessa quarta-feira (9) a retomar rapidamente o acordo nuclear de 2015, dizendo que será impossível retornar ao pacto se um acerto não for fechado em semanas.

“Nossas conversas com o Irã chegaram a um ponto urgente”, disse a porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, a repórteres, observando que o enviado especial dos EUA ao Irã, Rob Malley, retornou a Viena para negociações indiretas com o país asiático.

“Um acordo que aborda as principais preocupações de todos os lados está à vista, mas, se não for alcançado nas próximas semanas, os avanços nucleares em andamento no Irã tornarão impossível retornarmos ao pacto”, disse Jen Psaki.

Os comentários da porta-voz repetem os de uma autoridade graduada do Departamento de Estado dos EUA, que disse a repórteres em 31 de janeiro que “restavam apenas algumas semanas” para retomar o acordo.

Sob o acordo, o Irã restringiu seu programa nuclear para dificultar a obtenção de material físsil para fazer uma bomba, uma ambição que Teerã nega. Em troca, os Estados Unidos e outras nações aliviaram as sanções que prejudicam a economia do Irã.

O ex-presidente dos EUA Donald Trump abandonou o acordo em 2018, argumentando que este não conseguiu impedir o apoio do Irã a aliados regionais e deu a Teerã muito alívio nas sanções pelas restrições nucleares. Trump então restaurou as sanções dos EUA, levando o Irã a começar a violar os limites nucleares do acordo um ano depois. Reuters

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e