Espetáculo “A Incrível Peleja de Simão e a Morte” reestreia na Caixa Cultural Rio

A peça da Companhia de Arte Popular estreou há 12 anos e coleciona uma série de prêmios em mostras e festivais por onde circulou

Premiado espetáculo da Companhia de Arte Popular, “A Incrível Peleja de Simão e a Morte” volta em cartaz na Caixa Cultural do Rio de Janeiro para uma curtíssima temporada. A peça inspirada em um cordel homônimo reestreia dia 10 de maio e fica em cartaz até o dia 26, de sexta a domingo.

 
A incrível peleja de Simão e a Morte, de autoria de Cesário Candhí e direção de Tom Pires, é uma farsa com referência de elementos da cultura popular, como o bumba-meu-boi, as carpideiras, a ciranda e as cantigas populares.

– Quando recebi o convite para dirigir a companhia fiquei muito feliz, mas bem apreensivo, pois é muito difícil fazer algo diferente dentro de uma literatura que já foi encenada várias vezes. O resultado foi uma peça sensível, delicada, divertida e feito de maneira artesanal, que só uma companhia com este entendimento poderia fazer. Não imaginávamos a vida longa e o reconhecimento que a peça teria, mas certamente o resultado ficou à altura do trabalho dos meninos – conta Tom Pires.

Quatro atores e um músico interpretam, tocam e cantam a história de “Simão”, um anti-herói que, com muita esperteza, tenta, a todo custo, manter-se mais tempo na Terra. Recebe mais um tempo de vida, mas ao final da concessão, apesar de vários emissários virem para lhe buscar, ele tenta, com muitas artimanhas, safar-se deles. Quem vencerá esta peleja?

O texto de “A incrível Peleja de Simão e a Morte” deriva das fábulas medievais que contam a história de um certo “Ferreiro” que conseguiu, com muita esperteza, passar a perna na morte. Na montagem, o autor Cesário Candhi mergulha na tradição dos folhetos de cordel e constrói sua versão acrescentando elementos dos folguedos brasileiros, tais como o bumba-meu-boi, as cirandas, as cantigas de roda, as carpideiras nordestinas e todo o colorido das festas populares do Brasil. Em cena quatro atores e um músico, tocam e cantam a história de “Simão”, um anti-herói que tenta a todo custo manter-se por mais tempo aqui na terra. A trilha sonora conta com canções compostas especialmente para este espetáculo, apresentadas ao vivo, todas com inspiração no imaginário das cantorias populares.


Espetáculo completa 12 anos com várias premiações no currículo

O espetáculo recebeu premiações como do 4º Festival Nacional de Teatro de Duque de Caxias (Setembro de 2007); XV Festival de Teatro do Rio 2008 (Organizado pelo Centro Cultural Veiga de Almeida); do IV Festival Nacional de Rio das Ostras 2008; 6º Festival Cenáculo 2017; entre outros. Participou também dos seguintes projetos: Projeto Perambulantes – Organizado pela Fundação Euclides da Cunha da UFF em Duque de Caxias – Novembro de 2007; Festival de Inverno SESC Rio 2008 (Unidade Teresópolis); VII Mostra de Teatro de Petrópolis 2008; Baixada Em Cena 2008; EncontrArte 2008; Projeto Itaú Cultural 2009; Projeto Novas Cenas 2010 – Projeto da Secretaria de Estado de Cultura; Viradão Carioca 2010; Festival de Teatro de Inverno de Queimados 2010; Baixada Em Cena 2010; Projeto Pelas Ruas da Cidade 2012 – comemorando 25 anos do Grupo Off Sina; Projeto A Escola Vai ao Teatro – 2014 (Secretaria Municipal de Cultura e Turismo de Duque de Caxias); Projeto Maioridade – Comemoração dos 18 anos da Companhia de Arte Popular 2015; Festival de Teatro do Rio 2017; 14º Festival Nacional de Teatro de Duque de Caxias – 2017, recebendo Homenagem pelos 20 anos da Companhia.

A Cia de Arte Popular foi contemplada com o Prêmio Culturas Populares – Edição Selma do Coco – MinC 2018, com o Edital Novos Talentos do Teatro – FIRJAN/SESI 2018 e com o Prêmio Baixada em Artes Cênicas – 2015. Faz parte também da Rede Baixada Em Cena, vencedora, na categoria inovação, do Prêmio Shell – 2017.

FICHA TÉCNICA

Texto: Cesário Candhí
Direção: Tom Pires
Trilha Sonora Original, Sonoplastia e Direção Musical: Beto Gaspari
Elenco: Cesário Candhí, Eve Penha, Nancy Calixto, Pedro Lages e Beto Gaspari (músico).
Iluminação: João Franco
Adaptação de Iluminação e Operação de Luz: Bruno Silva
Figurino: Marcelo Moianno
Adereços: Lucíola Kat
Cenário: Tom Pires
Cenotécnico: Julio Tavares
Maquiagem: Nilton Marques
Produção: Francisco Farnum
Fotografia: Márcio Leandro
Programação Visual: Leandro Fazolla
Produção Executiva: Companhia de Arte Popular

SERVIÇO

A incrível peleja de Simão e a Morte
Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Teatro de Arena (Endereço: Av. Almirante Barroso, 25, Centro -Metrô e VLT: Estação Carioca)
Data: 10 a 26 de maio de 2019 (sexta a domingo)
Horário: sexta e sábado às 19h; domingo às 18h
Informações (21) 3980-3815
Ingressos: R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia). Além dos casos previstos em lei, clientes CAIXA pagam meia
Bilheteria: de terça-feira a domingo, das 13h às 20h
Duração: 60 min
Classificação Indicativa: 14 anos
Acesso para pessoas com deficiência
Apoio: CAIXA

Por

Webjornal O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e