Espanha diz que manterá proposta com Marrocos e Portugal para a Copa de 2030

A previsão da Fifa é que a escolha da sede de 2030 seja decidida em 2022, ano da Copa do Mundo no Catar

O governo da Espanha garantiu que a proposta de preparar com Marrocos e Portugal uma candidatura conjunta para sediar a Copa do Mundo de 2030 “seguirá adiante”, embora o país do Norte da África ainda não tenha confirmado se fará o mesmo.

Os reis Felipe e Letizia começam nesta quarta-feira (13) uma visita de Estado de dois dias ao Marrocos convidados pelo rei Mohammed VI. O encontro tem como objetivo reforçar a “excelente” relação em todos os âmbitos, segundo fontes do Ministério das Relações Exteriores espanhol.

A comitiva espanhola ao Marrocos também conta com a presença de cinco ministros, entre eles o de Cultura e Esportes, José Guirao.

O Ministério das Relações Exteriores não detalhou se a candidatura tripla para a sediar a Copa do Mundo de 2030 será um dos assuntos abordados durante a visita real, mas que o plano “seguirá adiante”.

O presidente do governo, Pedro Sánchez, propôs a iniciativa a Mohammed VI no dia 19 de novembro do ano passado, durante a sua visita a Rabat, a primeira que fez desde que chegou ao poder.

Segundo Sánchez, o monarca marroquino foi “muito receptivo” em relação à ideia e a intenção era que os três países começassem a trabalhar nela.

Sánchez disse que se tratava de uma candidatura “muito competitiva”, já que seria a primeira vez que a Copa do Mundo seria realizada em dois continentes, Europa e África, o que requer uma modificação prévia dos estatutos da Fifa.

Dois dias depois da viagem a Rabat, Sánchez se reuniu com o primeiro-ministro português, António Costa, ao qual expressou “entusiasmo fervente” pela proposta, que Portugal considera boa, embora com cautela.

O governo marroquino anunciou no dia seguinte que ainda não tinha tomado uma decisão sobre a oferta da Espanha e que a comunicaria quando tivesse uma posição, segundo afirmou o porta-voz do governo, Mustafa El Khalfi.

Faltando concretizar um formato, Marrocos tem a intenção de apresentar a sua candidatura para 2030 depois de perder a disputa para sediar a Copa de 2026 para a candidatura tripla de Estados Unidos, México e Canadá.

O país do Norte da África já tentou ser sede da Copa do Mundo em cinco ocasiões desde 1994, mas sempre sem sucesso.

Além da proposta lançada pela Espanha, está no ar outra eventual candidatura conjunta entre três países para 2030: Marrocos, Argélia e Tunísia, impulsionada pela União do Magrebe Árabe.

A previsão da Fifa é que a escolha da sede de 2030 seja decidida em 2022, ano da Copa do Mundo no Catar. A candidatura conjunta de Argentina, Uruguai e Paraguai pediu uma antecipação para 2020, mas a Fifa ainda não tomou uma decisão a respeito.

As relações entre Espanha e Marrocos no futebol foram reforçadas no dia 13 de agosto do ano passado, com a disputa da final da Supercopa da Espanha entre Barcelona e Sevilla na cidade de Tânger.

EFE

Por

Webjornal O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e