Equador aumenta para 79 o número de mortos em distúrbios nas prisões

Na quarta-feira, o Equador aumentou para 79 o número de mortos em distúrbios em quatro prisões e disse que as autoridades retomaram o controle após um dos surtos mais sangrentos de violência nas prisões de sua história.

A polícia e as tropas estavam estacionadas em centros de detenção nas cidades de Guayaquil, Cuenca e Latacunga, onde as gangues se enfrentaram na terça-feira com armas feitas à mão no que as autoridades disseram ter sido um surto de violência coordenado.

As gangues começaram uma batalha pela liderança dentro do sistema prisional em dezembro, quando um líder de Los Choneros, considerada a gangue mais poderosa do sistema, foi morto em um shopping center vários meses após ser libertado.

Vários dos confrontos de terça-feira ocorreram em áreas de segurança máxima das prisões de Guayaquil e Cuenca.

A autoridade carcerária SNAI disse que todos os mortos nos distúrbios eram prisioneiros.

“Graças às ações realizadas entre esta instituição e a Polícia Nacional, a situação … está sob controle”, acrescentou em nota.

Ele disse que “continua a coletar informações sobre perdas humanas e outros aspectos relacionados aos confrontos que surgiram”.

Os parentes dos presos permaneceram fora das prisões na esperança de obter informações sobre seus entes queridos.

O presidente Lenin Moreno declarou o sistema prisional do Equador em estado de emergência em 2019, após uma onda de incidentes que matou 24. Reuters

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e