Epidemia de gripe no Rio de Janeiro põe MG, ES e SP em alerta

Em algumas cidades, ainda há vacina, mas os estoques estão baixos

Os governos de São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo entraram em alerta depois do anúncio de que o estado do Rio de Janeiro e cidades da região metropolitana da capital fluminense enfrentam uma epidemia do vírus Influenza.

As secretarias estaduais de saúde informaram que monitoram a situação no Rio ou cobram postura do Ministério da Saúde.

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo informa que “solicitou ao Ministério da Saúde uma manifestação urgente quanto ao cenário epidemiológico da gripe no Brasil frente ao aumento de casos de Influenza no Rio de Janeiro e impacto nas análises epidemiológicas provocadas pelas falhas nos sistemas federais de notificação de doenças respiratórias”.

O pedido foi feito por ofício enviado ao Governo Federal na terça-feira (14).

No caso do Espírito Santo, já há aumento de casos de gripe.

“De acordo com o Laboratório Central de Saúde Pública do Espírito Santo (Lacen-ES), desde a última semana tem sido registrado um aumento de amostras positivas para vírus respiratórios associados à Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG)”, informou a secretaria estadual, que por enquanto não vê volume para que isso seja considerado surto ou epidemia de Influenza.

Eles dizem ainda que tem acompanhado a situação do Rio e que “a equipe técnica já traça estratégias para enfrentamento da doença caso ocorra aumento de casos no estado”.

A Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais afirmou que “as equipes da SES-MG acompanham a situação no estado vizinho e assessoram os municípios fronteiriços nas ações de vigilância”.

Em Minas, cabe à ‘Vigilância Sentinela da Síndrome Gripal’ identificar a circulação do vírus Influenza, e situações inusitadas ou até o surgimento de novo subtipo viral. Neste ano eles ampliaram a ação espalhando unidades sentinelas em todas as regiões do estado, mas não notaram até agora aumento no número de casos.

Capital paulista

Em São Paulo, a prefeitura notou aumento significativo de pessoas com síndrome gripal nas unidades de saúde nas últimas semanas. Em todo mês de novembro de 2021 foram 111 mil atendimentos de pessoas com sintomas gripais, sendo 56 mil suspeitos de Covid-19.

Em menos de 15 dias em dezembro, já são 91 mil atendimentos com quadro respiratório, sendo 45 mil suspeitos de Covid-19.

O governo do estado de São Paulo aponta ainda a instabilidade dos sistemas federais como um obstáculo pra monitorar a situação.

“Além disso, o Estado de São Paulo faz fronteira com o Rio de Janeiro, onde os casos de Influenza estão em ascensão”, afirma.

Eles dizem que “mantém 21 unidades sentinelas para identificação da circulação de vírus respiratórios” e que “os dados preliminares de SRAG por Influenza disponíveis no SIVEP Gripe referentes a 2021, até 10 de dezembro, indicam 665 casos e 50 óbitos. No ano passado, houve 713 casos e 54 mortes. Em 2019, foram 1.693 casos e 288 óbitos”.

Em algumas cidades, ainda há vacina, mas os estoques estão baixos. Como a campanha é concentrada no primeiro semestre do ano, é esperado que no mês de dezembro os postos de saúde não tenham doses do imunizante, até por isso a situação de surto e epidemia em cidades nesta época do ano é atípica. CNN

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e