Empreendimento Necessário

O Brasil já soma 24 milhões de mulheres empreendendo em seu território

Boa parte delas abrem seus próprios negócios, vale dizer, por necessidade e para superar o desemprego ou aumentar a renda, segundo dados do Sebrae. São mulheres que buscam independência financeira e, em muitos casos, uma forma de sustentar a família inteira. Entre 2017 e 2019, o número de mulheres chefiando lares brasileiros subiu de 38% para 45%. Além da dificuldade de acesso à crédito para seus negócios (mesmo com nível de inadimplência menor do que os homens), empreendedoras enfrentam, ainda, outras barreiras sociais e econômicas. Soma-se ao cenário, atualmente, mais um obstáculo: a pandemia. De acordo com dados levantados pela startups e gestores empresariais, 78% das pequenas empresas terão seu faturamento reduzido em 30% e apenas 15% delas estavam preparadas para um momento como esse.

Em 2016, Ruth (nome fictício) trabalhando como atendente de laboratório e ganhando menos de R$ 1.000, foi diagnosticada com depressão e transtorno de ansiedade sendo internada em uma clínica psiquiátrica. Quando recebeu alta, o saldo de sua conta bancária era de R$ 1,70. Foi morar na casa de uma amiga enquanto seus dois filhos ficavam aos cuidados dos avós. Foi da necessidade que nasceu sua empresa de limpeza. Em vez de recorrer aos anúncios tradicionais de faxineiras, surfou na onda de filmes e séries de sucesso em 2016 para criar chamarizes mais criativos. A tática deu certo. Hoje, três anos após seu levante, os serviços domésticos foram delegados, mas ela segue cuidado da marca e alavancando seu crescimento. Trabalhando diretamente com o setor de publicidade e eventos, diz que foi completamente impactada pela disseminação do novo coronavírus. “No momento em que surgiu o pedido para que as pessoas ficassem em casa, eu tinha seis ou sete eventos confirmados entre a segunda quinzena de março e o começo de abril. Absolutamente tudo foi cancelado. Tive a sorte de ter aparecido uma campanha para ensinar pessoas a desinfetarem produtos vindos do supermercado e a como limparem suas casas adequadamente em tempos de pandemia. Mesmo assim, ainda não é o suficiente para continuar me mantendo. O que perdi impactou diretamente as contas do mês de abril”, relata.

Superando em meio a crise

Para empreendedoras com quadro de funcionários ou cadeia produtiva, a situação é ainda mais crítica. Muitas mulheres empreendedoras analisam seus negócios do inicio ao produto final: tudo é pensado para causar o menor impacto possível e para garantir relações justas de trabalho. Por isso, quando os primeiros casos de COVID-19 começaram a ser confirmados no Brasil, muitas delas (empresárias) tiveram que se preparar e projetar cenários possíveis para garantir que sua cadeia, embora pequena, fosse minimamente impactada: “Essa é uma situação nova para todos nós, então não temos uma cartilha a seguir nesse momento. Nossa decisão foi a de agir pensando sempre no bem das pessoas envolvidas, para que ninguém saísse prejudicado em termos de saúde ou bem-estar mental e financeiro”.

Os ajustes agora e nos próximos meses serão inevitáveis. Elas precisam se reajustar. Encontrar novos meios e caminhos não será tarefa fácil, mas necessária. Mais necessário do que foi na abertura do seu empreendimento.

Não existe fórmula para sair da crise em um piscar de olhos. Tudo precisa ser bem pensado e com tranquilidade. Tomar atitudes em meio ao desespero não ajudará em nada.

2020 ainda não acabou

Deixo algumas dicas para você agir com tranquilidade:

Não se desespere, para tudo existe uma saída;

Pense com calma e rascunhe novamente todo o seu processo de venda, compras e por aí vai;

Seja solidário, mesmo diante da crise ofereça ajuda as suas parceiras, pois juntas poderão encontrar saídas para ambos os lados;

Seja humilde e reconheça que sozinha não seguirás. Converse com seus funcionários e peça ajuda, seja para criar, inovar ou até mesmo apenas para opinar;

Busque informações de quem está superando com tranquilidade a crise;

Leia boas notícias referente aos empreendimentos, não se influencie por fake news;

Não feche e não quebre sem antes buscar todos os caminhos para se manter no foco e equilíbrio.

Respire fundo e prossiga. Não desista!!! 2020 ainda não acabou!

Eu acredito em você!

Por

* Radialista, Fotógrafa e Palestrante Motivacional.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e