Empreendedorismo Feminino: negócios que transformam

Há muitos anos, as mulheres vêm lutando para garantir uma condição e posição mais igualitária na sociedade e muito já foi alcançado nesse sentido, como a garantia do direito feminino ao voto, à educação, e a criação da Lei Maria da Penha, por exemplo. Porém, estamos longe de viver em um mundo ideal no que diz respeito à igualdade de gênero e isso fica bastante claro quando olhamos para determinados pontos e estimativas.

Segundo dados da ONU, uma a cada três mulheres no mundo inteiro já foi espancada ou vítima de violência sexual e o Brasil é o quinto país com o maior índice de casos de feminicídio no mundo. Estima-se também que em nosso país, uma denúncia de violência contra a mulher é realizada a cada 7 minutos e, destas, 70% são cometidas pelo parceiro da vítima.

E quando partimos para outros cenários, a situação também é complicada. Basta considerar o âmbito profissional, por exemplo. Quando pensamos que há pouco mais de 50 anos, mulheres casadas precisavam de autorização do marido para trabalhar, a situação que vivemos hoje parece fantástica. Porém, ela também está longe de ser a ideal.

No mercado de trabalho brasileiro, de forma geral, apesar do maior nível de escolaridade e de desempenhar as mesmas funções que os homens, as mulheres ainda recebem salários que podem ser até 50% menores. E se isso, por si só, já é absurdo, vale acrescentar que, de acordo com uma projeção feita pelo Fórum Econômico Mundial, só haverá igualdade salarial no Brasil em aproximadamente 100 anos se o progresso atual for mantido.

Porém, apesar desse quadro, de todos os preconceitos e dificuldades que uma mulher enfrenta para avançar com sua carreira, cada vez mais elas têm assumido posições de destaque no mercado de trabalho. Nesse sentido, um movimento que vem ganhando destaque e bastante força é o empreendedorismo feminino.

Uma pesquisa do SEBRAE já mostra, por exemplo, que de 2001 a 2016, o número de mulheres empreendedoras cresceu 21%, enquanto o de homens cresceu apenas 9%. Além do mais, segundo outro estudo, da Serasa Experian, até 2016, 43% de todos os negócios no país já eram comandados por mulheres.

Portanto, é importante discutir sobre esse fenômeno e garantir que ele tenha visibilidade. Afinal, além de reafirmar a posição da mulher como essencial para a sociedade em todos os seus âmbitos, conhecer sobre o empreendedorismo feminino pode ser o primeiro passo para que mais mulheres se dediquem a essa atividade e transformem não só a sua realidade, mas também a de muitas pessoas a seu redor.

O que é empreendedorismo feminino e qual a sua importância?

Empreendedorismo feminino pode ser considerado como qualquer ação empreendedora que é realizada especialmente por mulheres. Quando falamos de empreendedorismo, muitas vezes limitamos nosso pensamento às grandes empresas e projetos, mas é importante compreender que, principalmente o empreendedorismo feminino, vai muito além disso. Afinal, mais do que apenas ter o próprio negócio e lucrar insanamente com ele, o empreendedorismo feminino empodera, dá mais espaço e visibilidade para tratarmos sobre questões de gênero, impacta positivamente as comunidades e oferece uma nova perspectiva de vida para quem realmente precisa.

Portanto, a mulher que produz sabão com suas filhas para vender em seu bairro é uma empreendedora. Aquela que faz salgados e bolos por encomenda e é conhecida em toda a comunidade é uma empreendedora. E a que tem uma loja de artesanato virtual e faz bordados e pinturas, também! Assim como as que abrem grandes negócios e startups, que são extremamente importantes para esse movimento.

Mais do que como o simples ato de empreender, é importante entender o empreendedorismo feminino como um importante instrumento de transformação social. Muitas pessoas tendem a achar que ele é apenas uma variação do empreendedorismo geral, um termo chato e desnecessário. Mas não! Ele é necessário na medida em que vai além do tradicional e se traduz como um movimento importante para dar força e visibilidade a outras questões relacionadas ao universo feminino.

Através do empreendedorismo feminino, muitas mulheres encontram uma forma de se sustentar, de ganhar espaço na sociedade, de fazer a diferença em sua família ou comunidade e por isso o movimento é tão importante. Alguns estudos hoje já mostram que as mulheres, quando empreendem, além de buscarem por lucro, fazem isso para terem satisfação pessoal e, principalmente, para que possam trazer algo de bom para o mundo. Além do mais, elas também costumam investir prioritariamente na educação de sua família, o que é essencial para a sociedade como um todo.

Os desafios que as mulheres empreendedoras enfrentam…

Apesar dos visíveis avanços que temos em relação à conquista de espaço da mulher no ambiente empreendedor, ainda existem muitas dificuldades e desafios que impedem um crescimento ainda maior do empreendedorismo feminino. O principal deles é o preconceito. Durante muito tempo, acreditou-se que a mulher foi feita exclusivamente para cuidar de casa e dos filhos e que, então, ela não tinha capacidade para executar nenhuma outra tarefa que não fosse relacionada ao lar e a maternidade. Porém, com o tempo, e graças às reivindicações de grupos, essa situação foi se modificando e a mulher foi conquistando seu espaço em outros cenários. Ela estudou, entrou no mercado de trabalho, chegou a cargos de liderança e hoje tem seu próprio negócio.

Mesmo assim, até hoje, a mulher precisa lutar para mostrar à sociedade que “seu lugar” é onde ela quiser e que características biológicas não definem ou limitam sua competência e capacidade. Muitas mulheres, quando vão assumir seu negócio, ainda têm dificuldade de serem respeitadas e levadas a sério, principalmente quando lidam diretamente com homens. Esse é um obstáculo muito grande pelo qual as empreendedoras infelizmente ainda precisam passar e que pode comprometer o sucesso de um negócio ou a iniciativa de uma mulher.

Outro desafio é relacionado à questão da autoconfiança. Como as mulheres apenas muito recentemente passaram a ter mais contato com o mundo dos negócios e o ambiente empreendedor, ao contrário dos homens, elas muitas vezes se sentem inseguras e despreparadas para tocar o próprio negócio. E isso, além de ser um problema para a própria empreendedora, reflete em suas atitudes, decisões e faz com que ela perca credibilidade perante outras pessoas e empreendedores.

É importante que as mulheres trabalhem esse ponto e encontrem formas de se tornarem mais confiantes em seu próprio trabalho e em seu conhecimento e experiência. Se manter sempre atualizada, fazer cursos e estudar sobre o seu mercado de atuação, por exemplo, é uma ótima forma de fazer isso.

Por fim, as iniciativas empreendedoras femininas ainda estão em um período de crescimento e o cenário empreendedor, assim como boa parte do mercado de trabalho, é predominantemente masculino. Com isso, muitas mulheres se sentem intimidadas na hora de fazer networking, de apresentar seu negócio, de falar com outros empreendedores e em muitas outras situações. Afinal, para os homens é mais natural assumir posições de destaque, liderar e ser proativo do que para as mulheres, que por muito tempo assumiram um lugar secundário na sociedade.

Nesse cenário, é importante, portanto, que as empreendedoras tenham noção desses desafios e  ajam de modo a superá-los, assumindo um papel de protagonismo e de liderança de forma igualitária aos homens. Além do mais, é extremamente relevante que essas mulheres busquem apoio umas com as outras, para compartilhar experiências, conhecimento e se apoiar.

Como em tudo na vida, nada é fácil, mas, jamais impossível!

Seja você também uma empreendedora.
Você consegue, você pode!
Eu acredito em você!

Por

* Radialista, Fotógrafa e Palestrante Motivacional.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e