Em meio à crise, Nicarágua convoca greve geral

Em meio a uma crise política e confrontos diários entre manifestantes e forças
policiais, a Aliança Cívica pela Justiça e a Democracia da Nicarágua convocou
greve geral para a quinta-feira (14). Os embates, que começaram em abril e atingem
várias cidades do país, causaram mais de 140 mortes, segundo fontes não
oÚciais.

A Aliança Cívica pela Justiça e Democracia da Nicarágua reúne integrantes do
setor privado, da sociedade civil, dos estudantes e dos camponeses. Os
líderes do movimento grevista apelam para que comerciantes, proÚssionais
liberais e integrantes de todas as categorias, além de estudantes, participem
da paralisação.

Valeska Valle, representante universitária da aliança, afirmou que apenas “uma
ação cívica conjunta” pode deter a repressão no país e apoiar a ação da
Conferência Episcopal da Nicarágua.

Desde 18 de abril, manifestantes saem às ruas de várias cidades da Nicarágua
em protesto contra o governo do presidente Daniel Ortega. Inicialmente, os
protestos foram contra a reforma da Previdência.
Em seguida, os manifestantes passaram a denunciar repressão, Úm da
liberdade de imprensa e violência policial.

Os confrontos passaram a ser constantes e a Conferência Episcopal da
Nicarágua se dispôs a mediar as negociações. Porém, na semana passada, os
religiosos suspenderam a mediação depois que mais pessoas foram mortas
nos protestos.

A Aliança Cívica exigiu do presidente Ortega “uma resposta imediata” à
Conferência Episcopal da Nicarágua para retomar o diálogo nacional e “revisar
o sistema político desde a sua raiz para conseguir uma autêntica democracia
e justiça”.

* Com informações da Agência EFE

Por

Webjornal O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e