Dragão azul começa a ser visto no Golfo do México

Apesar de ser achado raro, ao tocar nessas pequenas lesmas, elas podem liberar as células pungentes e causas queimaduras

Embora não seja uma criatura azul que cospe fogo, o “dragão azul” é considerado um achado raro. Por conta disso, visistantes do Parque Nacional da Ilha do Padre, localizado no estado americano do Texas na altura do Golfo do México, foram surpeeendidos com a grande presença do molusco nos últimos dias.  

O garoto Hunter Lane, 7 anos, natural do Arizona, disse ter encontrado quatro dragões em poucos minutos no dia 2 de maio, enquanto passava férias com a família. Seu pai, Trey Lane, disse que passa férias na região há 30 anos e nunca havia visto um.

“Hunter ama criaturas marinhas e pensou ter encontrado uma água-viva azul”, disse Trey. “Depois ele disse ter descoberto uma nova espécie!”

Dragões azuis, ou Glaucus Atlanticus, são pequenas lesmas do mar – geralmente de apenas 3 centímetros. Eles podem ser encontrados nos oceanos Atlântico, Pacífico e Índico, de acordo com a ONG Oceana.

Mesmo que as criaturas não sejam tão grandes quanto os dragões, elas podem causar estrago. Os dragões azuis comem Caravelas Portuguesas (Physalia physalis), que parecem grandes águas-vivas, e armazenam células pungentes de suas presas para usar no futuro.

Assim, quando os humanos tocam essas pequenas lesmas, elas podem liberar as células pungentes e causas queimaduras.

“Então, se você vir um dragão no parque, surpreenda-se, pois é um achado raro, mas também mantenha distância!” adverte o parque nacional. 

Recentemente, muitos visitantes da praia viram dragões azuis, disse Jamie Kennedy, porta-voz do parque. Ela acredita que um grupo numeroso deles foi levado para a região. Em seus dois anos de trabalho na costa nacional, Kennedy não havia ouvido falar do molusco antes.

Recentemente dragões azuis foram encontrados também no litoral da região Sul do Brasil, em praias de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. CNN

Por

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e